FANDOM


Abraão [ hebr. Abraham, “pai de uma multidão”, Ab significa "pai", e raham, "multidão"; em ár. Ibrahim; o nome original era Abrão, Abram, "pai exaltado" ], filho de Tera, nasceu em Ur (atualmente Tell al-Muqayyar), na Suméria. Nasceu 60 anos após o primogénito de Tera. (Génesis 11:26, 32; 12:4) Era irmão de Nahor e de Harã, o pai de Ló. (Génesis 11:27-28) Fala-se de Abraão como “o hebreu” [ ha ivrí, descendente de Hebér ], e seus descendentes, de hebreus. (Génesis 14:13) Foi o antepassado das tribos israelitas, edomitas, ismaelitas, midianitas e de outras tribos da Arábia. É chamado de “pai de todos os que têm Fé” pelos cristãos judeus do I século. Em resultado da sua submissão [ resignação, àr. islam ] à vontade de Deus, foi chamado de “amigo de Deus”. (Romanos 4:11; Tiago 2:23; Hebreus 11:8-9, 11, 17-18) É reverenciado como um grande profeta de Deus, pelo Judaísmo, Cristianismo e Islamismo ( Islã ).

A família de Abraão era semita, descendentes de Héber. Eram seminómadas e criadores de gado. As tabuinhas de Mari citam cidades com os nomes de Pelegue, Serugue, Nahor, Tera e Harã. Estes são nomes de parentes de Abraão. (Génesis 11:17-26) Inicialmente, a família de Tera não era monoteísta. (Génesis 31:53; Josué 24:2-3) O Deus de Abraão é chamado de YHWH. (Génesis 17:1) Abraão casou com Sara [ Sarah, "princesa" ], cujo nome original era Sarai [ de Sarah il ? ]. (Génesis 17:15) Foi pai de Ismael e de Isaque. Após a morte de Sara, casou novamente com Quetura e foi pai de mais seis filhos. (Génesis 25:1-2, 5-6) Segundo a narrativa de Génesis, Abraão viveu 175 anos, e Sara, 127 anos. Ambos foram sepultados na Caverna de Macpela, em Quiriate-Arba (Hébron).

Historicidade de Abraão Editar

Nos últimos anos, a historiografia bíblica admitiu a historicidade de Abraão, Isaque e Jacó. De entre os nomes mais conhecidos estão William Albright, Roland De Vaux, Ephraim Speiser, Gordon e Benjamin Mazar. Admitem que Abraão tenha vivido entre 2000 e 1800 AEC. Os sepultamentos múltiplos dos patriarcas contrastam com os sepultamentos individuais do período do Bronze Médio I. (Génesis 23:7-20) No entanto, nenhum consenso foi conseguido quanto às datas.

Outros autores não acreditam na historicidade da narrativa dos patriarcas ( Julius Wellhausen, Donald Redford, John Van Seters, Thomas Thompson, Israel Finkelstein e Neil Asher Silberman ). Seriam antes indivíduos seminómadas que perambulavam por Canaã. Defendem que as narrativas patriarcais foram recriadas no tempo de Jeremias e Esdras. Segundo eles, não possuem por isso valor histórico, apenas religioso. A recriação visava transformar o clã de Abraão numa grande família unida pela lenda e redefinir a origem e a unidade do povo de Israel (judeu). Foram apontados impossibilidades nas tradições patriarcais:

  • Domesticação de camelos no tempo de Abraão

A narrativa diz que Abraão saiu do Egito com camelos. (Génesis 12:16; 24:10) A domesticação do camelo árabe, camelo de uma bossa ou dromedário (Camelus dromedarius) já era uma realidade.

  • Filisteus no litoral sudoeste de Canaã, no tempo de Abraão e de Isaque

Génesis 21:34 diz que Abraão peregrinou "na terra dos filisteus" [ hebr. plishtim ], isto é, na terra de Gerar. (Génesis 10:19) Os reis de Gerar foram chamados de "reis dos filisteus". (Génesis 21:32, 34; 26:1, 8, 14-15, 18) Estes eram os filisteus descendentes de Casluim, um dos irmãos de Canaã. (Génesis 10:14) Seu território foi mais tarde ocupado por povos oriundos da Ilha de Creta - os filisteus de Creta. (Deuteronómio 2:23)

De Ur até Canaã Editar

Em data indeterminada, o patriarca Tera e sua família mudaram-se de Ur para Harã, na Mesopotâmia da Síria [ ou Arã-Naaraim, "Harã de entre rios" ]. Residiu algum tempo em Padã-Harã [ "planície de Harã" ]. Após a morte de Tera, Abraão, Sara e Ló cruzaram o Rio Eufrates e instalam-se em Canaã. Nessa ocasião, Abraão tinha 75 anos e Sara 65 anos. Seu mordomo Eliézer [ "Deus ajudou" ], era um sírio de Damasco.

Abraão acampou junto de Siquém [ Tel Balata, a 48 Km a norte de Jerusalém ], e de seguida, entre as cidades de Luz ( a 20 Km ao norte de Jerusalém; posteriormente chamada de Betel ) e Ai. Depois mudou seu acampamento para o Negebe. Devido a uma grande escassez de alimentos, o clã de Abraão tem uma breve passagem no Baixo Egito. Encontrou-se com um Faraó não identificado da XII Dinastia (cerca 1991-1780 AEC). Depois disso, regressou ao Negebe e acampou novamente entre Luz e Ai. (Génesis 12:10 a 13:4; 26:1)

Devido ao tamanho crescente dos seus rebanhos e das manadas, foi necessário que os acampamentos de Abraão e Ló se separassem. Seu sobrinho escolheu a extremidade sul do Mar Salgado ( Mar Morto ), região muito fértil e bem irrigada. Montou seu acampamento junto de Sódoma. (Génesis 13:5-13) Abraão acabou por se mudar para junto de Quiriate-Arba ( a 30 Km ao su-sudoeste de Jerusalém; posteriormente chamada de Hebron ). (Génesis 13:14-18)

Após residir em Canaã por dez anos sem um herdeiro natural, Abraão achava que Eliézer [ Elyézer, “Deus ajuda” ], seu mordomo, seria o seu herdeiro. Esse era o costume da época, segundo as tabuinhas de Nuzu. Deus assegura que Sara teria um filho na sua velhice e o descendente de Abraão seria numeroso. (Génesis 15:1-6) Sara deu a serva egípcia Hagar [ "fugitiva", "peregrina" ou "emigrante"; em ár. Hijra ] como concubina, para que Abraão tivesse um herdeiro. Abraão tinha 86 anos quando nasceu Ismael [ Yshma El, “ouviu Deus” a aflição ]. (Génesis 16:3, 15-16) Agar começou a desprezar Sara, já que esta não podia conceber, Agar é expulsa do acampamento. Por se ter se humilhado peranre Sara, foi permitido retornar ao acampamento.

Sicronísmos e cronologia Editar

Na interpretação literal das genealogias do Génesis, Abraão nasceu 352 anos depois do Dilúvio bíblico e 2 anos após morte de Noé. Pertencia a décima geração de Sem, filho de Noé. As vidas de Abraão e Sem terão coincidido em 150 anos. (Génesis 9:28; 11:10-11)

Desde que Abraão entrou em Canaã até ao Êxodo do Egito, decorreram 430 anos. "E sucedeu, ao fim dos 430 anos, sucedeu neste mesmo dia [ 14 de nisã ] ... saíram da terra do Egito.” (Êxodo 12:40-41; Gálatas 3:17)

  • Decorreram 215 anos desde que Abraão e sua família entrou em Canaã até Jacó e sua família entrar no Baixo Egito. Abraão tinha 75 anos quando entrou em Canaã. (Génesis 12:4-5) Isaque nasceu 100 anos após o nascimento de Abraão. (Génesis 21:5) Jacó e Esaú nasceram 60 anos após o nascimento de Isaque. (Génesis 25:26) Jacó tinha 130 anos quando mudou-se para no Egito. Reencontrou-se com seu filho José, então Vizir do Egito. (Génesis 47:9)

O descendente de Abraão foi atribulado por 400 anos, ou seja, durante 4 gerações. (Génesis 15:13-16; Atos 7:6-7) No fim do período, o descendente de Abraão seria liberto da opressão do Egito. Este período começou no dia em que Isaque foi desmamado, quando tinha 5 anos. Nessa ocasião, Sara viu Ismael escarnecer de seu meio-irmão Isaque, o filho da promessa. (Génesis 21:8-10)

Domínio do Elão Editar

Por volta de 2000 AEC, Kindattu, Rei do Elão, conquistou Ur e capturou o Rei de Ur, Ibbi-Sin. Isso marcou o fim da III Dinastia de Ur. Depois disto, o Elão passou a exercer grande influência na Mesopotâmia. No tempo de Abraão, Elão dominava a Síria, os planaltos a leste do Rio Jordão ( Transjordânia ) até a extremidade meridional do Mar Salgado ( ou Mar Morto ). O prof. Joanne Aharoni cita o desaparecimento de uma civilização pré-israelita na Transjordânia e no Negebe com impressionantes povoamentos, por volta de 2000 AEC. Os restos de cerâmica deste período apontam um fim súbito e catastrófico. Uma segunda vaga de invasores do norte ocorreu no Bronze Médio II - cerca 1900 AEC. (A Arqueologia da Terra de Israel, 1982 em inglês; 1978 em hebraico)

No relato do Génesis, o Rei do Elão é chamado de Quedorlaomer [ Kudur, "servo", Lagmu ou Lahumu ]. (Génesis 14:1-2) O deus Lahmu e sua irmã gémea e esposa, a deusa Lahumu, filhos de Aspu e de Tiamat na mitologia acádia, são citados únicamente no texto Enuma Elish (Museu Britânico). É incerta a sua identificação com Kindattu ou com Kudur Mabug. Tem sido abandonada a associação de Anrafel (citado em Génesis 14) com Rei Hamurábi. A cronologia média - atualmente bem aceite - fixa o reinado de Hamurábi entre 1792-1750 AEC. Segundo as tabuinhas de Mari, Hamurábi foi contemporâneo de Shamshi-Hadad I, Rei da Assíria. A Lista real de Korsabad ( Dur-Sharrukin ) fixa o reinado de Shamshi-Hadad I em 1813-1781 AEC.

Batalha de Sidim e Sódoma Editar

No 14.º ano após a conquista inicial, Quedorlaomer veio punir os rebeldes reis de Sódoma, Gomorra, Admá, Zeboim e Bela. As tabuinhas de Ebla alistam os nomes das cidades na ordem exatamente igual a que são mencionadas em Génesis 14:2. (Génesis 11:19) A coligação militar do Elão incluía os exércitos de Babilónia, Larsa e Goim [ goi-yim, “nações”, Mitanni? ]. São derrotados os refains [ povo de enorme estatura ] de Asterote, Hã e Savé-Quiriataim. São derrotados os horeus da região montanhosa de Seir. Depois de passarem por El-Parã, foram saqueadas En-Mispate ( Cades ) e Hazazom-Tamar ( En-Gedi ). Na Batalha de Sitim, foram derrotados os cinco reis e as suas cidades saqueadas. (Génesis 14:1-11)

O sobrinho de Abraão, e sua família, foram levados cativos, junto com todos os seus bens. Ao saber disso, Abraão ajuntou 318 servos treinados e junto com Aner, Escol e Manre, foram em sua perseguição. Foram derrotados em Lassem [ ou Laís, depois Dã ], no extremo norte de Canaã. Ló e sua família, foram libertos e seus bens recuperados. (Génesis 14:1-16, 23-24) Em resultado disso, Melquisedeque [ Melek, “Rei”, e Zedek, “Justiça” ], sacerdote e Rei de Jerusalém [ Salém ], e Bera, Rei de Sódoma, vieram ao encontro de Abraão. Melquisedeque abençoou Abraão e este lhe deu um décimo de tudo. (Génesis 14:17-20; Hebreus 7:1)

Depois da Batlha de Sidim e antes do nascimento de Isaque, Abraão foi testemunha ocular da destruição das cidades de Sódoma, Gomorra, Admá e Zeboim, por “fogo e enxofre caído do céu”. (Génesis 19:24, 26) Apenas Ló e suas duas filhas sobreviveram. Fugiram para Bela ( depois Zoar ), a meio caminho da região montanhosa. (Génesis 18:16-21:7)

Nascimento de Isaque Editar

Abraão tinha 100 anos e Sara tinha 90 anos, quando nasceu Isaque [ Yshaq, “ele riu”, alegrou-se ], o filho herdeiro da promessa. (Génesis 21:6) No dia em que Isaque foi desmamado – tinha ele 5 anos, Sara observou o meio-irmão Ismael a escarnecer Isaque. Ismael e sua mãe Hagar, são expulsos definitivamente do acampamento. Deus garante a Abrãao a segurança de Ismael e de sua mãe. Ismael, por ser filho de Abraão, também será pai de numa grande nação. Após isso, Hagar e Ismael peregrinam no Vale de Becá, no Ermo de Parã. (Génesis 21:11-13) Ismael viveu até os 137 anos de idade. Os ismaelitas vieram habitar no sudoeste da península da Arábia.

Suprema prova da fé Editar

Segundo a tradição judaica, a suprema prova da fé de Abraão aconteceu quando Isaque tinha cerca 25 anos. (Flávio Josefo, Antiguidades Judaicas, Livro I, 227) Em obediência a Deus, Abraão tomou Isaque e viajou de Berseba (Negebe) até ao monte Moriá [ “visão” ], contíguo a Jerusalém. Erge um altar para oferecer literalmente Isaque, seu filho, como sacrifício queimado. No último instante, um anjo interveio e proporcionou um carneiro para o altar. Era apenas um teste à fé de Abraão. Isto moveu Deus a reforçar sua promessa com Abraão com um voto juramentado, como garantia legal adicional. (Génesis 22:1-18)

Casamento de Isaque Editar

Quando Isaque tinha 40 anos, 3 anos depois da morte de Sara, Abraão enviou Eliézer a Padã-Harã [ “planície de Harã” ], a fim de achar uma esposa para seu filho. Rebeca, filha de Betuel e neta de Nahor, sobrinha-neta de Abraão, mostrou ser a escolhida. Era irmã de Labão, futuro cunhado de Jacó. (Génesis 24:1-67) Quando Abraão tinha 160 anos e Isaque 60 anos, nasceram os gémeos Esaú [ “peludo” ] e Jacó [ Yacob, “suplantador” de seu irmão ]. Porque Esaú era ruivo, foi chamado de Edom, “vermelho”, e seus descendentes, edomitas. Mais tarde, Jacóteve o nome mudado para Israel [ Yshra El, “forte contra Deus”], porque lutara com um anjo para obter uma bênção.

Casamento com Quetura Editar

Quando Sara morreu, Abraão comprou aos filhos de Hete [ ou heteus ], um terreno em Quiriate-Arba (depois Hébron) com uma caverna para sepultamento do clã de Abraão. (Génesis 23:1-20) Após a morte de Sara, Abraão casou com Quetura e foi pai de mais seis filhos - Zinrã, Jocsã, Medã, Midiã, Isbaque e Suá. Os filhos de Quetura habitaram o sudoeste da península da Arábia. (Génesis 25:1-2, 5-6)

Sepultamento Editar

Segundo o livro de Génesis, Abraão viveu 175 anos. Foi sepultado em Quiriate-Arba (depois Hébron) por Isaque e Ismael, na caverna de Macpela. (Génesis 25:7-10) Nesse local, foram sepultados mais tarde Isaque e Jacó, e suas esposas respetivamente, Rebeca e Leia. Os patriarcas praticavam sepultamentos múltiplos (Génesis 23:7-20), em contraste com os sepultamentos individuais do período do Bronze Médio I. Eram um poço vertical cavado até à entrada horizontal do túmulo. O "campo de Abraão" foi citado na inscrição mural no Templo de Karnak - que narra a invasão de Sheshonk I, no 5.º ano de Roboão, filho de Salomão.

Abraão em Meca Editar

Segundo o Islão, o santuário de Kaaba foi construído por Abraão e Ismael. Abraão escolheu Meca como centro da adoração monoteísta por ser geograficamente o centro do mundo. "E quando Abraão e Ismael elevam as fundações da casa [ isto é, da Kaaba ], dizendo, Nosso Senhor! Aceita de nós este trabalho. Certamente Tu escutas, és conhecedor." (Alcorão, sura 2:127)

Saiba Mais Editar

Ligações Externas Editar

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória