FANDOM


Vitimas e familiares diretos das vítimas denúnciaram publicamente que as comissões judicativas das Testemunhas de Jeová não desassociam [ excomungam ] abusadores sexuais de crianças / pedófilos alegadamente arrependidos. Estes ficavam sob alçada dos anciãos congregacionais, não sendo denunciados às autoridades competentes. As políticas internas então em vigor inibia as Comissões Judicativas de fazerem isso. Agindo dessa forma, o Corpo Governante procurava proteger em primeiro lugar a reputação e credibilidade da religião.

Neste caso, o abusador arrependido ficava sob restrições judicativas. O único anúncio feito à congregação local é que a pessoa tinha sido disciplinada. Caberia aos anciãos congregacionais o dever de monitorizar a pessoa [ "tomar nota" ] em causa. Se não existir as necessárias provas testemunhais ou a confissão de culpa, o alegado abusador gozava de presunção de inocência perante a congregação local. Se o transgressor não demonstrar arrependimento genuíno, ele seria prontamente desassociado. Neste caso, a vítima ou seu representante legal, já estaria "livre" religiosamente para apresentar queixa-crime às autoridades.

Embora tenham feito fortes críticas às outras religiões, a religião foi alvo de fortes críticas por parte da Opinião Pública. Em diversos países, foram feitas inúmeras reportagens denunciando este assunto sério de notório interesse público. John Brown, diretor do Escritório de Informação Pública, afirmou que: "Nosso Corpo Governante está desejoso de resolver as diferenças de opinião no âmbito interno da congregação e conforme os princípios das Escrituras." (Carta do Escritório de Informação Pública de 7/2/2002)

Atualmente, a vítima ou seu representante legal, é livre para apresentar queixa-crime às autoridades judiciais. Os anciãos congregacionais são instruídos a não impedir ou censurar quem o decida fazer. A boa reputação e credibilidade da religião deverão ser sempre uma preocupação. Outra grande preocupação é a proteção imediata da vítima e não permitir que novos casos ocorram. O processo judicativo interno segue as normas internas, totalmente independentes dos resultados da investigação criminal.

Os membros a Comissão Judicativa congregacional - e demais anciãos - são instruídos a invocar o Segrego Religioso. São instruídos a requer a não comparência para prestar depoimento. São instruídos a não apresentar quaisquer registos, documentos confidenciais e cartas internas relevantes para o caso. Não podem divulgar nenhuma informação sem a prévia autorização do Escritório da Filial, mediante seu Departamento Legal.

Definição de porneia e de Criança

Para as Testemunhas de Jeová, porneia é o único motivo para o divórcio bíblico - que permite que o cônjuge inocente se case novamente. É ainda motivo para desassociar [ excomungar e ostracizar ] o transgressor não arrependido. Este termo designa todos os tipos de relações sexuais ilícitas [ fornicação, incesto, adultério, atos homossexuais, bestialidade, ... ], abrangendo inclusive os atos sexuais cometidos com crianças [ infantofilia ] ‎e adolescentes [ efebofilia ou pederastia ]. (Prestai Atenção a Vós Mesmos e a Todo o Rebanho, 1991, pág. 92-4; A Sentinela de 15/9/1983 pág. 30; Estudo Perspicaz das Escrituras, 1988, vol. 2 pág. 154-5)

As legislações nacionais e internacionais divergem quanto à definição jurídica do que se deve entender por criança. A Declaração Universal sobre os Direitos da Criança no seu Art.º 1 considera como criança "todo ser humano menor de 18 anos de idade, salvo se, em conformidade com a Lei aplicável à criança, a maioridade seja alcançada antes". Para fins didáticos e práticos, adota-se o conceito de que o abuso sexual de crianças envolve pessoa menor de 14 anos de idade, e por sua vez, o abuso sexual de menores envolve toda a pessoa menor de 18 anos de idade.

O que se esconde

Ao contrário que a religião alega, seus críticos nunca afirmaram que a religião aprovam o abuso sexual de menores ou que querem encobrir tais crimes. Em diversos países, o Corpo governante têm sido criticado pela forma errada que as Comissões Judicativas - seus Tribunais eclesiásticos ou Comissão de Disciplina Religiosa - eram orientadas para lidar com este tipo de crime. (Compare com os conselhos práticos dados em 1982 por especialistas no assunto, por exemplo no artigo "Se seu filho for sexualmente molestado", na revista Seleções do Readers Digest de 5/1982 pág. 27-30)

Na primavera de 2002, William Bowen, presidente da Fundação SilentLambs ("Ovelhas Silenciosas"), foi informado por fontes internas que existia uma base de dados com 23.720 molestadores de crianças. Atualmente, se estima que esse valor se situa nos 30 mil. Barbara Anderson tornou público o DVD Segredos de Pedofilia numa Religião Americana - Testemunhas de Jeová em Crise. Contém milhares de páginas tomados dos arquivos judiciais de diversos tribunais dos EUA em quatro estados, principalmente na Califórnia e no Oregón, de onde se pode ver documentos que revelam a maneira que a liderança da religião procurou encobrir a existência de alegados casos. Para evitar mais escândalos que sujariam a sua imagem pública e o bom-nome da religião, a Sociedade Torre de Vigia (dos EUA) despendeu muitos milhões de dólares para indemnizar as vítimas e extingir os processos judiciais. Isto têm sido sistematicamente omitido em suas publicações.

Outros exemplos comprovados de desvios sexuais mantidos em Segredo Religioso (Segredo Ministerial), estão as resignações forçadas de dois ex-membros do Corpo Governante e suas demissões do Serviço de Betel, Ewart Chitty e Leo Greenlees. Outra pessoa de destaque foi Percy Chapman, ex-superintendente da Filial da STV no Canadá. Aludindo vagamente a estes incidentes, a STV publicou o seguinte comentário: "É chocante, mas o fato é que mesmo alguns que eram proeminentes na Organização de Jeová sucumbiram a práticas imorais, incluindo o homossexualismo, a troca de casais e o abuso de crianças." (A Sentinela de 1/1/1986, pág. 13 §12)

Política Interna era errada

Primeiro, nos EUA, foi o programa "Testemunhas de Acusação" exibido pela emissora NBC através do NBC Dateline em 28/5/2002. A sua transcrição em português se encontra no endereço: http://www.watchtowerinformationservice.org/dateline.htm. A conceituada Newsweek na edição de 24/6/2002, na pág. 81, publicou um artigo de Julie Scelfo intitulado "Testemunha da Vergonha - Uma outra religião enfrenta seu próprio escândalo". O New York Times de 11/8/2002, pág. 20, abordou os alegados casos de abuso sexuais de menores / pedofilia em suas congregações e as políticas internas então em vigor para lidar com este tipo de crime.

"Testemunhas de Jeová apanhadas em Escândalo da Igreja" foi transmitido pela CNN em 14/8/2002, no programa de Connie Chung com William Bowen, Heidi Meyer e Amber Long. "Política da Igreja Sobre Abuso É Errada - Testemunha de Jeová Expulsa [ referindo-se a William Bowen ], cita Conspiração Para Ocultar Ofensas", publicado no New York Times de 28/8/2002. O assunto é denunciado novamente no artigo "Política da Igreja sobre abuso é errada", publicado no New York Times de 30/11/2007.

Em 14/7/2002, na Grã-Bertanha, a BBC 1 levou ao ar o programa "Sofrem as Criancinhas". Relatou-se casos de crianças colocadas em risco pelas suas políticas e revelou a existência de uma base de dados dos membros suspeitos de abuso sexual de crianças, muitos dos quais jamais foram relatados as autoridades. Estes registos incluem quando o crime ocorreu numa época que a pessoa não era batizada ou mesmo associada [ Publicador de congregação não batizado ] com a congregação. (Carta da Congregação Cristã das Testemunhas de Jeová de 1/7/2006, em inglês)

Na Austrália, a repórter Michele Tydd informou no jornal Mercury de 5/8/2000, que o juiz John Goldring do Distrito de Wollongong, responsabilizou os anciãos da Congregação de Balgownie das Testemunhas de Jeová por não relatarem os abusos sexuais cometidos por Robert Leslie Souter. Novamente no dia 13/9/2007, Souter foi preso por porte de 40 fotos de pornografia infantil. Leia a transcrição do programa Sunday em para conhecer o problema de pedofilia entre as Testemunhas de Jeová na Austrália. O documentário foi transmitido em 22/8/2002, na Austrália, no Canal Nove, e em 8/10/2005, em Portugal, no canal SIC Notícias. Veja a transcrição do mesmo em português.

O secretismo existente é bem ilustrado pela noticia avançada pelo jornal 24 Horas sobre um caso de uma jovem vítima de alegado assedio sexual em Portugal, na Congregação de Corujeira, cidade do Porto. Contatada a Associação das Testemunhas de Jeová de Portugal via faxe e telefone, invariavelmente a resposta foi sempre a mesma: "Não comentamos esses fatos. Preferimos resolver no nosso seio essas questões." Por telefone, Tiago Silva, o atual Superintendente Presidente, não confirmou e nem desmentiu o caso. "Essas situações são resolvidas no interior das Testemunhas de Jeová" - afirmou. (Jornal 24 Horas de 26/11/2007, pág. 9)

Na França, em 10/1/2006, uma Testemunha prestou depoimento perante um Juiz de Instrução no Tribunal de I Instância de Saint-Dié-des-Vosges, por suspeita de violação de uma menor de 15 anos entre 1986 e 1989, nas dependências do Salão do Reino. A vítima cometeu suicídio próximo do Salão do Reino, a 22 de março. (Le Nouvel Observateur de 10/1/2006, na Seção Sociedade) Veja em a reportagem na sua íntegra.


Um tribunal da Califórnia condenou as Testemunhas de Jeová a indemnizar Candace Conti, una mulher membro do grupo religioso, abusada sexualmente aos nove anos por parte de outro membro. A jovem, agora com 26 anos, vai receber cerca de 28 milhões de Dólares (ou 22 milhões de Euros). «É a maior quantia obtida por uma única vítima de abusos sexuais por parte de religiosos em todos os EUA», disse o advogado de Candace, Rick Simons, citado pela Associated Press. A jovem vai receber 7 milhões de dólares por danos morais e 21 a título punitivo. O agressor deve pagar 60% desta quantia e os outros 40% pela corporação. ([http://www.tvi24.iol.pt/internacional/abusos-sexuais-crianca-vitima-abuso-testemunhas-de-jeova-tvi24/1356150-4073.html Testemunhas de Jeová - condenados por abusos sexuais] Fonte: TVI24 de 19/6/2012)

Mudança de Politica

"À medida que este mundo se torna cada vez mais perverso, os filhos precisam de pais que os protejam contra pessoas que tentam prejudicá-los, tais como os molestadores sexuais. Considere como Jesus protegeu seus discípulos, a quem afetuosamente chamou de “filhinhos”. Quando foi preso e estava prestes a ser morto, Jesus cuidou de que eles escapassem. (João 13:33; 18:7-9) Como pai, ou mãe, Você precisa estar atento às tentativas do Diabo de causar dano a seus filhos pequenos. É preciso alertá-los. (I Pedro 5:8) Nunca antes foi tão grande a ameaça à integridade física, espiritual e moral deles." (O Que a Bíblia Realmente Ensina?, 2005, pág. 137 §15)

Sugestões práticas de como os pais podem alertar seus filhos foram dadas em 2003 no Cap. 32 do livro Aprenda do Grande Instrutor, edição revisada.

  • "Mas, infelizmente, alguns adultos gostam de fazer sexo com crianças. Por causa disso, alguns meninos e meninas aprendem a fazer coisas ruins. Eles também começam a usar de forma errada seus órgãos sexuais. Foi isso o que aconteceu há muito tempo na cidade de Sodoma. A Bíblia diz que as pessoas de lá, "desde o rapaz até o velho", tentaram fazer sexo com homens que tinham ido visitar Ló. (Génesis 19:4-5)"
  • "Então, assim como Jesus precisou de proteção, você também precisa ser protegido de adultos — e até de outras crianças — que talvez tentem fazer sexo com Você. Em geral, esse tipo de gente finge ser seu amigo. Talvez até lhe ofereçam um presente se Você prometer não contar a outros o que eles querem fazer com Você. Mas essas pessoas são egoístas, como Satanás e seus demónios, e só pensam no prazer delas. E tentam ter esse prazer fazendo sexo com crianças. Isso é muito errado!"
  • "O que eles fazem para sentir prazer? — Bem, talvez queiram acariciar seus órgãos sexuais. Outros podem querer encostar os órgãos sexuais deles nos seus. Mas Você nunca deve deixar ninguém brincar com seu pénis ou sua vulva. Nem mesmo seu irmão, sua irmã, sua mãe nem seu pai. Essas partes do corpo são muito íntimas."
  • "Como Você pode se proteger de pessoas que fazem essas coisas ruins? — Em primeiro lugar, não deixe ninguém brincar com seus órgãos sexuais. Se alguém tentar fazer isso, fale bem alto e com firmeza: “Pare com isso! Eu vou contar o que Você está fazendo!” E se ele disser que o que aconteceu é culpa sua, não acredite. Isso não é verdade. Conte para alguém o que ele fez, não importa quem ele seja! Mesmo que ele diga que o que Vocês estão fazendo juntos é um segredo só entre Você e ele, conte isso para alguém. Mesmo que essa pessoa lhe prometa presentes bonitos ou faça ameaças horríveis, fuja dela e conte para alguém o que ela fez."
  • "Não fique com medo, mas sempre tenha cuidado. Se os seus pais lhe disserem que certas pessoas ou certos lugares podem ser perigosos para Você, escute o que eles dizem. Fazendo isso, vai ficar mais difícil para alguém malvado prejudicar Você."

Saiba Mais

Ligações Externas

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória