FANDOM


Deve ter atenção que as datações relativas mencionadas nos relatos dos livros bíblicos, nomeadamente I e II Samuel (profetas Samuel, Gade e Natã), I e II Reis e Jeremias (profeta sacerdote Jeremias), I e II Crónicas e Esdras (sacerdote Esdras) e de Ester (Mordecai).

Existe muita distroção e contradições na cronologia do Antigo Testamento usada pela Sociedade Torre de Vigia (STV) e a cronologia secular. Em resumo, sua posição oficial é: “Em última instância, é claro, nós [ isto é, o Corpo Governante das Testemunhas de Jeová ] não baseamos nossa crença em 607 AEC em evidências arqueológicas, mas no que a Bíblia diz. Não importa quanta evidência tenha sido recolhida por historiadores seculares, nunca iremos comprometer, reinterpretar, ou corrigir e fazer a Bíblia concordar com a história secular, como muitos têm feito sem contrangimento. As Testemunhas de Jeová guiam-se pela Bíblia como a autoridade máxima. Nós acreditamos ... 70 anos de duração do Exilio babilónico, e não nos importa quanta evidência secular seja apresentada, nunca será suficiente para sobrepor-se à Bíblia.” (Fonte: Tradução do Novo Mundo Defendida! - um website não oficial de Testemunhas de Jeová)

A sincronização da cronologia bíblica com os povos vizinhos apresenta dificuldades, pelo que deve tomar as informações abaixo com reserva. Não é possivel exigir absoluta exatidão e coerência do relato bíblico ou uma precisão cronológica. São frequentes omissões, simplificações [ acronísmos, antedatação ] ou uso de hipérboles dos acentecimentos. Não é excluir erros ou lapsos de copistas ou de tradutores. A duração dos reinados nem sempre são anos lunares completos. Também não fica claro se inclui o ano de ascensão ou não, e ainda, a existência de uma co-regencia ou não. A datação por radiocarbono 14 - se não houver contaminação das amostras, erros, preconceitos ou fraude científica - apoiado pelos textos astronómicos, permite-nos fixar datações absolutas, com uma margem mínima de erro.

Síntese da cronologia [ revisada em 1943 ]Editar

  • Desde a criação de Adão [ supostamente no outono de 4026 AEC; antes de 1943 em 4128 AEC ], até o início do Dilúvio, no 600.º ano de Noé [ em 2370 AEC, segundo STV; antes de 1943 em 2472 AEC ], são 1 656 anos. (Génesis 5:3-28; 7:6) São tomados literalmente os anos de longevidade. O período total desde da criação de Adão até outono de 2011 EC, são 6037 anos.
  • Desde do início do Dilúvio até Abraão entrar Canaã [ em 1943 AEC; antes de 1943 em 2045 AEC ], são 427 anos. (Génesis 11:10-32; 12:4) Desde que Abraão entrou em Canaã até ao Êxodo do Egito, no mês de abide (nisã), são 430 anos. (Êxodo 12:40-41; Gálatas 3:17) Durante 400 anos, ou seja, por 4 gerações, o descendente de Abraão viveria como emigrante, seria atribulado, e por fim, escravizado. (Génesis 15:13-14, 16; Atos 7:4)
  • Desde do Êxodo do Egito [ em 1513 AEC, segundo STV; antes de 1943 em 1615 AEC ], até o início da construção do Templo de Jerusalém, no 4.º ano de Salomão [ em 1034 AEC segundo a STV ], são 479 anos. (I Reis 6:1) Quarenta anos depois do Êxodo, foi o inicio da conquista de Canaã sob Josué.


  • Conquista de Jericó [ Tell es-Sultan ] e de Ai [ "ruina" ] por Jesué. Foram destruídas e incendiadas. (Josué 6:20-21, 24; 8:21, 28) Ai, situava-se junto a Bete-Aven, a este de Luz (Betel). Seria Khirbet el-Maqatir, segundo Bryant Wood. Betel e Ai são referidas em conjunto. Jericó cananeia - a Cidade IV - foi destruída, segundo Kathleen Kenyon, cerca de 1550 AEC. Para John Garstang e Bryant Wood, cerca de 1400 AEC. Mais tarde, Jericó foi conquistada por Eglom, rei de Moabe. (Juízes 3:13) Foi reconstruida e fortificada durante o reinado de Acabe / Jeosafá, no IX século AEC. (I Reis 16:34) Embora as escavações mostrem ser uma das mais antigas cidades do mundo, não é mencionada em nenhum registo antigo, para além do Antigo Testamento.
  • Hazor [ Tell el-Qedah ] foi destruída e incendiada por Josué. (Josué 11:10-11, 13) No período dos Juizes, foi destruida pelas tribos de Israel. (Juizes 4:23-24) A arqueologia datou a destruição final cerca de 1200 AEC. Nas cartas de Amarna, é chamada de Hasura, e seu rei, Abdi-Tirshi.


  • Desde do 4.º ano de Salomão até a morte de Salomão, são 37 anos. (I Reis 11:42-43; II Crónicas 9:30)
  • A Biblia dá um importante sincronísmo. Sheshonk I já reinava antes da morte de Salomão. (I Reis 11:40) Roboão, filho de Salomão, tornou-se rei de Judá (meridional), e Jeroboão, rei de Israel setentrional. Isso ocorreu em 997 AEC, segundo a STV.
  • No 5.º ano de Roboão, Sheshonk I invadiu Canaã. Conquistou diversas cidades dos reinos de Roboão e de Jeroboão. Isso ocorreu em 993 AEC segundo a STV.
  • Desde do cisma das tribos e divisão do reino de Salomão até a conquista de Jerusalém pelos babilónicos [ em 607 AEC segundo a STV; ao invés de 587 AEC ], são 390 anos.
  • A Biblia dá um importante sincronísmo. A conquista de Jerusalém foi no 18.º ano de reinado de Nabuconodusor II. O primeiro sítio foi no 8.º ano de Nabuconodusor II. (Ezequiel 4:5-6; II Reis 25:22-26; Jeremias 41:1-3; 43:1-7)
  • Perante a ameaça de Hezael, rei da Síria, Jeú, rei de Israel, enviou tributo à Assíria, no 18.º ano de Salmanasar II. No 7.º ano de Salmanasar II, ocorreu a batalha de Karkar. Ben-Adad II, rei da Síria, liderou uma coligação formada por 32 reinos vassalos contra a Assíria. A associação de "Ahab, o sírio" com o Acabe, rei de Israel, é incompativel. Seria antes Jeorão, filho de Acabe.
  • Tiglate-Pilneser II [ "rei Pul" ] subjugou o reino de Israel e Menaém tornou-se tributário da Assíria.
  • Segundo o retato biblico, o rei Azarias (Urias), pai de Jotão, morreu no seu 52.º ano. Era o 1.º ano de Peca, rei de Israel. Seria 42 anos, se sincronizado com reinados de Israel. Segundo o retato biblico, 16 anos foi a duração do reinado de Jotão, incluíndo a co-regência com seu pai. Tornou-se rei no 2.º ano de Peca. Foi 6 anos de reinado de facto, se sincronizado com reinados de Peca e Oséias.
  • A conquista de Babilónia foi em 539 AEC. O primeiro retorno dos judeus do Exílio sob liderança de Zorobabel e do sumo-sacerdote Josué, foi no 7.º mês judaico, no 1.º ano de Ciro II após a conquista de Babilónia, isto é, em 538/537 AEC. (Esdras 1:1; 3:1; II Crónicas 36:21-23; Daniel 9:1-2) Deixou de ser contabilizado dois anos do governo de Dario, o medo. Após a conquista de Babilónia, Dario, o medo, foi governante [ "rei" ] no distrito jurisdicional de Babilónia.
  • É dogma da STV que a duração do Exílio de Judá foi de 70 anos. O cálculo é 70 anos mais 537 AEC. Nega que seja o domínio do Império Neo-babilónico. [ Isto esconde cálculos errados que sustentam sua doutrinação escatológica por anos. Factos históricos e declarações dos eruditos são destorcidas nas suas publicações de modo a apoiar suas ideias preconcebidas. ]
  • Desde da ordem para reconstruir as muralhas de Jerusalém no 20.º ano de Artaxerxes I [ em 475 AEC segundo a STV; ao invés de 445 AEC ] até ao aparecimento do Messias (Cristo) no 15.º ano de Tibério César, são 483 anos [ lunares ]. A ascessão de Tibério aconteceu a 19 de agosto de 14 EC. (Neemias 1:1; 2:1, 11; 6:15; Daniel 9:24-25; Lucas 3:1, 21-23; Mateus 3:3-17; Daniel 9:24-25) A STV distorce a datação secular do reinados de Xerxes I e Artaxerxes I. Conjetura uma co-regência de Dario I com Xerxes. Atribui outros anos para a fuga de Temístocles, de Atenas para Asia Menor, e a posterior audiência com o novo rei da Pérsia.

Principais eventos Editar

  • 2370 AEC - Início do Dilúvio.
  • 2369 AEC - Início da sociedade humana pós-diluviana. Fundação de Babilu (Babel). Reino pós-diluviano.
  • 1943 AEC - Abrão (Abraão), filho de Tera, e sua família, sai de Harã cruza o rio Eufrates rumo a Canaã. Tinha 75 anos. O pacto abraâmico entra em vigor. Kudurlagmar, rei do Elão, e seus reis aliados, invadem o território a leste do Jordão. Ismael nasceu quando Abraão tinha 86 anos. Na batalha de Sitim, os reis das cidades de Sitim foram derrotados. Resgate de Ló, sua família e seus bens. Destruição de Sódoma, Gomorra, Admá e Zeboim.
  • 1918 AEC - Isaque nasceu quando Abraão tinha 100 anos. Início do período de "cerca de 450 anos". (Atos 13:17-20)
  • 1913 AEC - Isaque foi desmamado. Início da atribulação do descendente de Abraão durante 400 anos. (Génesis 15:13) Esaú e Jacó nasceram quando Isaque tinha 60 anos.
  • 1750 AEC - José [ Yussef ], aos 17 anos, foi vendido pelos seus irmãios como escravo para o Egito. Tornou-se escravo da casa de Putifar, chefe da guarda de faraó. Aos 30 anos, tornou-se Vizir do Egito com o nome de Zafenate-Paneia. Casou com Putífera, filha do sacerdote de Om [ egipc. ant. Yun ou Yunu; gr. Heliopólis, "cidade do Sol" ]. Foi pai de Manassés, seu primogénito, e de Efraim.
  • 1728 AEC - Jacó e sua família mudam-se para a terra de Gosén, a melhor terra do Egito. Fica no delta do Nilo. É também chamada de terra de Ramsés [ do "filho de Rá" ]. Viveu no Egito 17 anos e morreu.
  • 1711 AEC - Jacó morreu com 147 anos.
  • 1630 AEC - José morreu com 110 anos.
  • Surgiu um novo faraó "que não conhecia José" - e uma nova dinastia - que se tornou opressor das tribos de Israel. A elevada taxa de natalidade gerou temor nos egipcios. Nasce Moisés, da tribo de Levi. Foi adotado pela filha de faraó e educado na corte. Pi-Ramsés (Per-Ramsés, "casa do filho de Ra", atual Qantir), Tjeku ou Per Tem, Pir-Aton (Per-Aton, "casa de Aton", atual Tell el Maskhuta ?) Hawaret (H.t-war.t), gr. Avaris, atual Tell el Dab'a ]
  • 1513 AEC - Êxodo do Egito e as tribos de Israel atravessam o "mar" em direção ao Mte. Horebe, na península do Sinai. (Números 33:5-36)
  • 1512 AEC - No Mte. Horebe, na península do Sinai, a tribo de Levi e o sacerdócio arónico são consagrados. Arca da Aliança e o Tabernáculo - o santuário móvel - ficam prontos.
  • 1473 AEC - Acampamento em Cades-Barneia. No 40.º ano após o Êxodo, Arão morreu no Mte. Hor. Sucedeu-lhe Eleazar como sumo-sacerdote. É derrotado o rei de Arade (Negebe) e golpeada a sua cidade. Contorna os reinos de Edom, Moabe e Amom. Na batalha de Jaaz, derrotou de Síon, rei de Hésbon. Na batalha de Edrei, derrotou de Ogue, rei de Basã. Balaque é o rei de Moabe. Moisés morre no Mte. Nebo. Josué assume a liderança.
  • As tribos de Israel atravessam o Rio Jordão e entram em Canaã. Conquista de Jericó e de Ai, junto de Luz (Betel). Na batalha de Gibeão, foi derrotada a coligação liderada pelo rei de Jerusalém. São golpeadas as cidades de Maquedá, Libna, Laquis, Gezer, Hébron [ conquistada por Calebe ] e Debir [ conquistada por Otniel ]. Na batalha de Merom, foi derrotada a coligação liderada pelo rei de Hazor. Conquista de Hazor.
  • 1467 AEC - Conquista de Canaã (Josué 10:40; 11:16-17) é completada em 5 anos. (10:40; 11:16-17) Começo da contagem do período de "cerca de 450 anos". (Atos 13:17-20) Morte de Josué. Fineias, sucedeu a Eleazar, como sumo-sacerdote. Conquista de Jerusalém.
  • Cusã-Risataim, rei arameu, oprime as tribos de Israel por 8 anos. Juizado de Otinel. Paz por 40 anos. Eglom, rei de Moabe, oprime as tribos de Israel por 18 anos. Moabe conquista Jericó. Éude executou Eglom e derrotou o exército de Moabe. Paz por 80 anos. O rei de Hazor oprime as tribos de Israel por 20 anos. Na batalha de Quisom, Baruque derrotou o exército de Hazor. Juizado de Baruque e Débora. Zeba e Zalmuna, reis de Midiã, oprimem as tribos de Israel por 18 anos. Juizado de Gideão. Abimeleque reinou em Siquém durante dois anos. O rei de Amom oprime as tribos de Israel por 18 anos.
  • 1173 AEC - Jefté derrota Amom, 300 anos após o início da conquista de Canaã - contado a partir do ano 1473 AEC. (Juizes 11:25-26) Juizado de Jefté de 6 anos. Filisteus oprimem as tribos de Israel por 40 anos. (Juizes 13:1) Migração da tribo de Dã e conquista de Dã (Laís). Juizado de Sansão de 20 anos. Eli serviu como sumo-sacerdote durante 40 anos. Na batalha de Afeque, os filisteus capturam da Arca da Aliança.
  • 1117 AEC - Saul começou a reinar sobre as 12 tribos de Israel. Abner, tio de Saul, era o chefe do exército.
  • 1077 AEC - Em Hébron, David tornou-se rei de Judá. Is-Bosete, filho de Saul, com o apoio de Abner, tornou-se rei sobre as 10 tribos setentrionais. Reinou 3 anos.
  • 1075 AEC - Abner e Is-Bosete são assassinados.
  • 1070 AEC - David tornou-se rei único, reinando sobre as 12 tribos de Israel. Conquista de Jerusalém.
  • 1037 AEC - Salomão, filho de David, começou a reinar.
  • 1034 AEC - Início da construção do Templo de Jerusalém, no 4.º ano de Salomão. Era o 480.º ano após o Êxodo das tribos de Israel do Egito.
  • 1027 AEC - Ficou completo a construção do Templo. Inicio da construção do Palacio Real, outros edifícios governamentais, construção de muralhas e fortificação de cidades.
  • 997 AEC - Em Siquém, o reino de Salomão é dividido em dois. Roboão, filho de Salomão, tornou-se rei de Judá (meridional). Jeroboão, da tribo de Efraim, tornou-se rei das tribos de Israel setentrionais.
  • 993 AEC - No 5.º ano de Roboão, Sheshonk I invadiu a Palestina e conquistou diversas cidades.

Esquema cronológico e sincronismos Editar

Cronologia da monarquia das 12 tribos Editar

Saul Editar

Saul, de Gibeá, tribo de Benjamim, foi escolhido como o primeiro rei das 12 tribos de Israel. Foi ungido pelo profeta Samuel. Reinou por 40 anos.

  • Na batalha de Jabes de Gileade, derrotou Náas, rei de Amom. Jonatã golpeiou a guarnição dos filisteus em Geba. Na batalha de Micmás, na região montanhosa de Betel, os filisteus são derrotados. Por impaciência e medo, Saul faz "ofertas" queimadas que deviam ser feitas pelo profeta Samuel. Seu reino teria um término. (I Samuel 13:13-14)
  • Seu reinado caraterizou-se por quase constante guerra contra os povos inimigos vizinhos - Filístia, Amom, Moabe, sírios de Zobá, Edom e Amaleque. Abner, seu tio, era o chefe do exército. (I Samuel 14:47-48) Na batalha de Elá, David decapitou o filisteu de Gate e os filisteus foram derrotados. David tornou-se escudeiro e tocador de harpa de Saul e bem sucedido chefe militar de mil. Saul, torna-se numa pessoa suspeitosa e procura astutamente matar David.
  • Na guerra contra os amalequitas, Saul poupou a vida do rei Agague e o melhor do gado dos amalequita. (I Samuel 15) David é ungido por Samuel como futuro rei. (I Samuel 15:23) Saul consulta uma médium espírita em En-Dor. Morre, juntamente com seus três filhos, na batalha de Gilboa contra os filisteus. Nessa ocasião, o filisteu Aquis era rei de Gate. Mais tarde, por ordem de David, as ossadas de Saul e Jonatã são transladadas de Jabes de Gileade para sepultura de seu pai, em Gibeá.

David Editar

David, de Belém, tribo de Judá, tinha 30 anos quando tornou-se rei de Judá. Reinou em Judá, em Hébron, por 7 anos e 6 meses. Joabe é o chefe do exército. Abiatar éo sumo-sacerdote. Abner e Is-Bosete são assassinados.

  • David é aclamado rei sobre as 12 tribos de Israel. Joabe conquistou a fortaleza dos jebuseus. Em Jerusalém [ hebr. Yerushalayim, "dupla paz" ], reinou por 33 anos. No reinado de David, era conhecida por "a cidade de David". (II Samuel 5:7) Celebrou uma aliança comercial com Hirão, rei de Tiro. Construiu o seu Palácio Real (II Samuel 5:11) e reforçou as suas muralhas. Também construiu um local ou estrutura, chamada "Milo" [ millô’, "encher"; um aterro ]. (II Samuel 5:9; I Crónicas 11:8) A Arca da Aliança é trazida para capital.
  • Foi derrotado Hanum, filho de Naás, rei de Amom. Joabe conquistou Rabá, capital de Amom. Foi derrotado o exército de Hadadezer, rei sírio de Zobá, sob o comando de Sobaque. Nesse tempo, Toi era rei de Hamate.
  • Absalão, com 40 anos, rebelou-se e David enfrentou uma guerra civil.

Salomão Editar

Salomão, filho de David com Bateseba, tornou-se rei. Reinou por 40 anos. Conspiração de Adonias e de Joabe, e sua execução. Benaia tornou-se no chefe do exército. Zadoque, substituiu Abiatar, como sumo-sacerdote.

  • Casou com a filha de Faraó (não identificado), a sua principal esposa, recebendo nessa ocasião a cidade de Gezer como presente. Renovou a aliança comercial com Hirão, rei de Tiro. Possuía uma frota de navios de longo curso em Eziom-Géber, no Golfo de Aqeba, que ia trianualmente até Ofir (Índia ?).
  • No 4.º ano de Salomão, tem início a construção do Templo de Jerusalém. Coincidiu com o 480.º ano após o Êxodo do Egito. (I Reis 6:1) Sua construção durou 7 anos. De seguida, são construídos o Palácio Real, o Pórtico das Colunas, o Pórtico do Trono, o Palácio do Cedro do Líbano, e por fim, o Palácio da Filha de Faraó. São construidas as muralhas, torres e portões de Jerusalém. São ainda construídas cidades fortificadas para seus carros de combate e cidades-armazém (Megido, Bete-Seã, Bete-Semes, ... ). Tadmor, no deserto da Síria, era um entreposto comercial e posto avançado militar. Salomão era intermidiário comercial entre os egipcios, os sírios e os hititas.
  • Após 13 anos do término do Templo, ou seja, no 23.º ano de Salomão, terá ocorrido a visita da rainha de Sabá (Iémen meridional). Durante grande parte do seu reinado, o povo gozou de paz e grande prosperidade. Também registou uma notável atividade inteletual.
  • Nos últimos anos do reinado, permitiu e promoveu a idolatria religiosa, por causa dos seus casamentos pagãos. Seus inimigos - Jeroboão, Hadade e Reziom - começam a prevalecer. Tornou-se opressor do povo.
  • Sheshonk I já reinava do Egito nos últimos anos de Salomão.

Divisão do Reino Editar

Deverá ter atenção que as datações relativas abaixo mencionadas, são as mencionadas nos relatos dos livros bíblicos de Reis e Jeremias (pelo profeta e sacerdote Jeremias) e Crónicas e de Esdras (pelo sacerdote Esdras). Sua sincronização com a cronologia dos povos vizinhos apresentam diversas dificuldades, pelo que deverá tomar as informações abaixo com reserva. As tabuinhas astronómicas permitem determinar datações absolutas. A duração dos anos de reinado nem sempre são anos lunares completos, também não fica claro se inclui o ano de ascensão,. e ainda, a existência ou não de co-regencias. Acresce a isso, dificuldades na tradução ou possiveis lapsos dos copistas ou tradutores.

O calendário hebraico é um calendário lunar. O primeiro dia de cada mês é sempre o primeiro dia de Lua Nova. Os anos comuns, com doze meses, podem ter 353, 354 e 355 dias, enquanto os anos bissextos, de treze meses, 383, 384 ou 385 dias. Os dias que faltam para corresponder ao ciclo solar se obtêm através da introdução de um mês extra - o chamado 13º mês ou mês intercalar. O ano judaico tinha aproximadamente 360 dias, e cada mês, 30 dias. O ano religioso judaico começa no primeiro mês de abibe ou nisã (março/abril). O ano civil judaico começa no primeiro mês de tishrei (setembro/outubro).

Na inscrição da Grande Estela do oásis de Dakhla, do 5.º ano de SheshonK I, supostamente fornece uma data lunar para uma festa no 5.º ano de Sheshonk I. Coloca o 1.º ano de Sheshonk I entre dezembro de 944 AEC e novembro de 943 AEC. Não se provou indiscutivelmente.

Roboão a Acazias Editar

Roboão, filho de Salomão e Naamá, tornou-se rei de Judá com 40 anos. Reinou por 17 anos. Fortificou diversas cidades de Judá. (II Crónicas 11:5-12)

  • Jeroboão I, da tribo de Efraim, tornou-se rei de Israel setentrional. Reinou por 22 anos. Instituiu o culto dos bezerros com santuários em Betel e Dã, em oposição culto no Templo de Jerusalém.
  • No 5.º ano de Roboão, Sheshonk I [ na Bíblia, Sisaque ] invadiu militarmente Canaã e conquistou diversas cidades. Mudança da capital do reino de Jeroboão I de Siquém para Tirza.

Abijão (também chamado de Abias), filho de Roboão e Maacá, tornou-se rei de Judá no 18.º ano de Jeroboão I. Reinou por 3 anos. Derrotou Jeroboão I na batalha de Zemaraim. Conquistou Betel, Jesana e Efraíne. (I Reis 15:3, 6-7; II Crónicas 13:3-20)

Asa, filho de Abijão (Abias), tornou-se rei de Judá no 20.º ano de Jeroboão I. Reinou por 41 anos.

  • No 2.º ano de Asa, Nadabe, filho de Jeroboão I, tornou-se rei de Israel. Reinou por 2 anos. Foi executado por Baasa. Fim da dinastia de Jeroboão.
  • No 3.º ano de Asa, Baasa tornou-se rei de Israel. Reinou por 24 anos.
  • No 11.º ano de Asa, um numeroso exército liderado pelo etíope Zerá (?) invade o reino de Judá. Foi derrotado na batalha de Zefata, em Maressa.
  • No 16.º ano de Asa, Baasa, rei de Israel, ocupou Ramá. Asa subornou Ben-Adade I, rei da Síria. Os sírios conquistam o norte do reino de Baasa, tomando Ijom, Dã e Abel-Maim e as cidades armazens de Naftali. Asa mandou fortificar Geba e Mispá.
  • No 26.º ano de Asa, Elá, filho de Baasa, tornou-se rei de Israel. Reinou por 2 anos. Foi assassinado por Zinri.
  • No 27.º ano de Asa, no sítio de Gibetom, o rei Elá foi assassinado. Fim da dinastia de Baasa. Onri, chefe do exército, tornou-se rei de Israel. Reinou por 12 anos. Tirza foi sitiada e Zinri suicidou-se.
  • No 31.º ano de Asa, Onri tornou-se no rei único, após a morte de Tibni. Fundação de Samaria, de onde reinou nos últimos 6 anos.
  • No 38.º ano de Asa, Acabe [ hebr. Ach'ab; sírio Ahab ?], filho de Onri, tornou-se rei de Israel. Reinou por 22 anos. Casou com Jezabel, filha de Etbaal, rei de Sídon.
  • No 39.º ano de Asa, ficou muito doente dos pés. Morre no seu 41.º ano.

Jeosafá, filho de Asa e Azuba, tornou-se rei de Judá com 35 anos, no 4.º ano de Acabe. Reinou por 25 anos.

  • No seu 3.º ano de Jeosafá, implementou em Judá um programa nacional de educação religiosa. No reinado de Acabe, prosperava o culto de Baal, com o patrocinio de Jezabel. Hiel, de Betel, reconstruiu as muralhas de Jericó e colocou portões. (II Reis 16:34)
  • Guerras entre Ben-Adade II e Acabe. Samaria foi sitiada. Na batalha de Afeque, foram derrotados os sírios. Ben-Adade II, rei da Síria, foi capturado e sua vida foi poupada. Celebram uma aliança entre Acabe e Ben-Adade II. Jeosafá coligou-se com Acabe para conquistar Ramote-Gileade a Ben-Adade II. No sítio, Acabe foi gravemente ferido e morreu.
  • Na batalha de Beraca, foi derrotada uma coligação formada por Moabe, Amom e Edom contra o Jeosafá, rei de Judá.
  • No seu 17.º ano de Jeosafá, Acazias, filho de Acabe, tornou-se rei de Israel. Reinou por 2 anos. Revolta de Mesa, rei de Moabe. (II Reis 3:4-5) Acazias de Israel coligou-se a Jeosafá numa expedição comercial a Ofir (Índia ?). A frota dos navios em Eziom-Géber naufragam no Golfo de Aqaba. (I Reis 22:48-49; II Crónicas 20:35-37) O rei têm uma queda da janela do terraço do palácio. Como Acazias morre sem herdeiros, o trono de Israel passou para Jeorão, seu irmão.
  • No seu 18.º ano de Jeosafá, Jeorão, filho de Acabe, tornou-se rei de Israel. Reinou por 12 anos. Coligou-se com Jeosafá para conquistar Moabe. No sítio de Quir-Haresete, o rei Mesa sacrificou seu primogénito para esconjurar a derrota.

Jeorão, filho de Jeosafá, tornou-se rei de Judá com 32 anos, no 5.º ano de Jeorão, filho de Acabe, rei de Israel. Reinou por 8 anos. Casou com Atália, filha de Acabe e Jezabel, rei de Israel. Mandou assassinar seus irmãos.

  • Coligação síro-palestina liderada por Ben-Adade II - com seus 32 reis vassalos - para conter o expancionismo da Assíria. Naamã era o chefe do exército da Síria. (II Reis 5:1) No 7.º ano de Salmanasar III, ocorreu a batalha de Karkar liderada por Ben-Adade II e seus 32 reis vassalos.contra a Assíria
  • Hazael tornou-se rei da Síria, depois de assassinar Ben-Adad II.

Acazias, filho de Jeorão de Judá e Atalia, tornou-se rei de Judá com 22 anos, no 11.º ano de Jeorão de Israel. Reinou por 1 ano.

  • Coligou-se com Jeorão, filho de Acabe, para conquistar Ramote-Gileade a Hazael. Jeorão foi ferido no sítio e fica em Jezrael. Recebeu a visita de Acazias. Jeú executou Jeorão de Israel. Morte de Jezabel. Fim da dinastia de Onri. Acazias, às ordens de Jeú, foi golpeado junto de Ibelão e morre em Megido.

Jeoás de Judá até Josias Editar

Atalia usurpou o trono de Judá, no 1.º ano de Jeú, rei de Israel. Mandou executar a linhagem de sucessão ao trono de Judá. Governou durante 6 anos.

  • Jeú [ hebr. Jehu ] reinou por 28 anos. No 7.º ano de Jeú, Atalia foi executada às ordens sumo-sacerdote Jeoiada. Jeú removeu o culto de Baal, mas poupou o culto dos bezerros. Perante a ameaça de Hazael, rei da Síria, Jeú tornou-se tributário da Assíria, no 18.º ano de Salmanasar III.

Jeoás, filho de Acazias e Zibá, tornou-se rei de Judá com 7 anos, no 7.º ano de Jeú. Reinou por 40 anos. Foi salvo por Jeosabeate, irmã de Acazias e esposa de Jeoiada, o sumo-sacerdote. Jeoás consentiu no assassinio de sumo-sacerdote Zacarias, filho de Jeoiada. Conspiração em Jerusalém. Foi assassinado pelos seus servos em Laquis.

  • No 23.º ano de Jeoás,Jeoacaz, filho de Jeú, tornou-se rei de Israel. Reinou por 17 anos. Ordenou o concerto do Templo de Jerusalém. Hazael, rei da Síria, impõe a Jeoacaz redução substancial do seu exército. Hazael conquistou Gate. Jeoás sobornou Hazael para que não sitiar Jerusalém. Ben-Adad III, filho de Hazael, continuou a oprimir no reinado de Jeocacaz.
  • No 37.º ano de Jeoás, Jeoás, filho de Jeoacaz, tornou-se rei de Israel. Reinou por 16 anos. Derrotou por 3 vezes Ben-Adad III, rei da Síria.

Amazias, filho de Jeoás e Jeoadim (Jeoadã), tornou-se rei de Judá com 25 anos, no 2.º ano de Jeoás, filho de Jeoacaz, rei de Israel. Derrotou Edom, na batalha do Vale do Sal. Foi capturado por Jeoás de Israel, na batalha de Bete-Semes, de Judá. Jerusalém foi sitiada. Foi assassinado pelos seus servos.

  • No seu 15.º ano, Jeroboão II, filho de Jeoás, tornou-se rei de Israel. Reinou por 41 anos. Reconquistou da Síria todo o território a leste do Jordão, desde de Hamate até ao Mar Morto. (II Reis 14:25; II Crónicas 25:25)

Azarias (também chamado de Uzias), filho de Amazias e Jecolias, tornou-se rei de Judá com 16 anos, no 27.º ano (?) de Jeroboão II. Reinou por 42 (52 ?) anos. Reconquistou Elate a Edom e reconstruiu a cidade.

  • No 28.º ano de Azarias (38.º ?) ano, Zacarias, filho de Jeroboão II, tornou-se rei de Israel. Reinou por 6 meses.
  • No 29.º ano de Azarias (39.º ?), Zacarias foi executado por Salum. Fim da dinastia de Jeú. Ao fim de 1 mês, Salum foi executado. Menaém, tornou-se rei de Israel. Tornou-se vassalo de Tiglate-Pileser III [ em acadiano Tukulti-Apil-Esarra ], rei da Assíria. O rei antecessor foi Assurnirari V (754-745 AEC). Antes de 745 AEC, Tiglate-Pileser pode ter sido co-regente.
  • No 40.º ano de Azarias (50.º ?), Pecaías, filho de Menaém, tornou-se rei de Israel. Reinou 2 anos. Foi assassinado por Peca.
  • No 42.º ano de Azarias (52.º ?), Peca tornou-se rei de Israel. Reinou por 20 anos. Tornou-se vassalo de Tiglate-Pileser III. O reino de Peca foi reduzido à região montanhosa de Efraim. Foi assassinado por Oséias.

Jotão, filho de Azarias (Urias) e Jerusa, tornou-se rei de Judá com 25 anos, no 2.º ano de Peca. Governou durante 16 anos. Foi co-regente nos últimos anos do reinado de seu pai. Reinou de facto por 6 anos.

Acaz, filho de Jotão, tornou-se rei de Judá com 20 anos, no 7.º ano (17.º ?) de Peca. Reinou 16 anos.

  • Incursões em Judá dos filisteus e de Edom. Rezim restituiu Elate a Edom e remove os judeus da cidade. Perante a ameaça sírio israelita, Acaz tornou-se vassalo de Tiglate-Pileser III. O rei da Assíria conquistou Damasco, e Rezim, rei da Síria, foi executado. O reino de Peca foi reduzido à região montanhosa de Efraim.
  • No 14.º ano de Acaz [ ou 12.º ano como vassalo ], Oséias tornou-se rei de Israel. Reinou 9 anos.

Ezequias, filho de Acaz e Abi, tornou-se rei de Judá com 25 anos, no 3.º ano de Oséias (725 AEC). Segundo a STV, foi em 745 AEC. Reinou 29 anos.

  • No 1.º mês do 1.º ano de Ezequias, foi restabelecido os serviços do Templo. Celebração da Páscoa. Ezequias recusou o tributo à Assíria. Conquistou a cidade de Asdode.
  • 722 AEC - No 4.º ano de Ezequias [ ou 7.º ano de Oséias ], Samaria foi sitiada por Salmanasar V, filho de Tiglate-Pileser III. Oséias recusou o tributo à Assíria e procura ajuda do Egito. Osorkon IV [ na Bíblia, Sô ] era rei do Egito (730-715 AEC). Segundo a STV, foi em 742 AEC.
  • 720 AEC - Conquista de Samaria por Sargão II, no 6.º ano de Ezequias. Segundo a STV, foi em 740 AEC. Fim do reino das 10 tribos de Israel. O comandante-em-chefe [ na Bíblia, Tartã, assír. Turtanu ] assírio conquistou Asdode. Sargão II fundou a cidade de Dur-Sarruken [ "fortaleza de Sargão" ] como a nova capital da Assíria.
  • 712 AEC - Senaqueribe invadiu Judá, no 14.º ano de Ezequias. Segundo a STV, foi em 722 AEC. Conquista de Laquis e Libna. Batalha com Taharka [ na Bíblia, Tiraca ], rei do Egito. Sitio de Jerusalém. Ezequias pagou tributo. Recebeu emissários de Madruk-apal-iddina II [ "Madruk deu um filho"; na Bíblia, Medroaque-Baladã ] que se tornara rei em Babilónia (722-710 AEC).
  • Segundo II Reis 19:37, Senaqueribe foi posteriormente assassinado em Nínive, no templo de Nisroque, por seus filhos, Adramelek e Sarezer. Esar-Hadom, filho mais novo de Senaqueribe, tornou-se rei da Assíria.

Manassés, filho de Ezequias e Hefzidá, tornou-se rei de Judá com 12 anos. Reinou por 55 anos (696-642 AEC). Foi levado prisioneiro para Babilónia por chefes militares assírios. Foi restabelecido no trono de Judá. Foi vassalo de Esar-Hadom (681-669 AEC), e de seu filho, Assurbanipal (668-627 AEC).

  • Em 672 AEC, Esar-Hadom capturou e saqueou Mênfis (Baixo Egito). Nomeou Neco I como rei do Egito (672-664 AEC), com a capital em Sais. Taharka resiste em Tebas, no Alto Egito (672-664 AEC).
  • Em 669 AEC, Esar-Hadom sai para lutar com Taharka, mas morreu no caminho.
  • Em 664 AEC, Psamético I, filho de Neco I, tornou-se rei do Egito (664-610 AEC). Assurbanipal derrotou Taharka. Capturou e saqueou Tebas (Baixo Egito).
  • Em 652 AEC, Chamás-Chum-Uquim, irmão de Assurbanipal, governante em Babilónia, atacou um exército do rei, perto da Babilónia. A guerra termina ao fim de 3 anos, com a conquista de Babilónia (650 AEC).

Amom, filho de Manassés e Mesulemete, tornou-se rei de Judá com 22 anos. Reinou 2 anos (641-640 AEC). Foi assassinado pelos seus servos.

Josias, filho de Amom e de Jedida, tornou-se rei de Judá com 8 anos. Reinou 31 anos (639-609 AEC).

  • No 8.º ano de Josias, torna-se adorador do Deus de Israel.
  • No 12.º ano de Josias (628 AEC), tem início a reforma religiosa no reino de Judá. No ano seguinte, ínicio o ministério profético do sacerdote Jeremias.
  • Sinsharishkum, filho de Assurbanipal, tornou-se no penúltimo rei da Assíria (626-612 AEC). Rebelião de Etelli-Illani, seu irmão (626-632 AEC).
  • 625 AEC - Nabopolassar tornou-se rei de Babilónia (625-605 AEC). Fundou o Império Neo-babilónio. Ciaxares II é o rei da Média (625-584 AEC).
  • No 18.º ano de Josias (622 AEC), achou-se "o livro da Lei [ Torah ] escrito pela mão de Moisés". Realizou-se uma celebração ímpar da Páscoa.
  • 616 AEC - Sítio fustrado de Assur.
  • 614 AEC - Conquista de Assur.
  • 612 AEC - Conquista de Nínive. Assuruballit II, tornou-se rei da Assíria, e resiste em Harã.
  • 609 AEC - Ao tentar deter o exército de Neco II (610-585 AEC) em Megido, o rei Josias foi gravemente ferido e morre. A derrota de Assuruballit II pelos babilónicos marcou o fim do império Assírio (609 AEC).

Jeoacaz, filho de Josias e Hamutal, tornou-se rei de Judá. Reinou por 3 meses (609 AEC). Foi deposto em Ribla por Neco II. Foi para o exílio no Egito.

Últimos reis de Judá até Ciro II Editar

Jeoiaquim (Eliaquim), filho de Josias e Zebida, foi nomeado rei de Judá por Neco II (608 AEC) com 25 anos. Tornou-se vassalo de Nabucodonosor II (604-602 AEC). Reinou por 11 anos (608-598 AEC).

  • 605 AEC - Na batalha de Carquemish (segundo a STV em 625 AEC), os egípcios foram derrotados. Neco II abandonou as pretensões sobre o corredor sírio palestino. Após a batalha, o rei Nabopolassar morreu. Seu filho Nabucodonosor [ em acadiano Nabukudurusur ], viaja para Babilónia onde é aclamado rei.
  • 604 AEC - Foi o 1.º ano de Nabucodonosor II [ ou 4.º ano de Jeoaquim ]. Jeoiaquim foi vassalo de Nabucodonosor II por 3 anos (604-601 AEC). Depois, rebelou-se. Judá sofre saques dos sírios, amonitas e moabitas.
  • Jeoiaquim morreu 3 meses e 10 dias antes do sítio de Jerusalém, no 8.º ano de Nabucodonosor II.

Joaquim (também chamado de Jeconias), filho de Jeoiaquim e Neusta, tornou-se rei de Judá com 18 anos. Reinou por 3 meses e 10 dias. Rendição de Judá, no 8.º ano de Nabucodonosor II, isto é, a 16 de março de 597 AEC. Joaquim foi para o Exílio em Babilónia. [ Em II Reis 24:12, não contabiliza o ano de Ascensão - o ponto de vista de Judá. Em Jeremias 52:28-30, contabiliza o ano Ascensão - o ponto de vista de Babilónia. ]

Zedequias (Matanias), filho de Josias e Hamutal, foi nomeado rei de Judá por Nabucodonosor II com 21 anos. Reinou por 11 anos (597-587 AEC).

  • 589 AEC - Sítio final de Jerusalém no 9.º ano de Zedequias, no dia 10 do 10.º mês.
  • 587 AEC - Conquista de Jerusalém no 18.º ano de reinado de Nabucodonosor II. As muralhas foram derrubadas. Palácio Real, o Templo e as casas dos nobres foram queimadas, no dia 10 do 5.º mês. Deportação dos habitantes para o Exílio. [ II Reis 25:8 e Jeremias 52:12, menciona que Jerusalém foi conquistada no 19.º ano de Nabucodonosor. Não contabiliza o ano de Ascensão. Jeremias 52:28-30 diz que foi no seu 18.º ano, porque contabiliza o ano de Ascensão. ]
  • Zedequias foi capturado. Seus filhos foram executados, e por fim, foi cegado. Foi levado ao Exilio em Babilónia. Foi executado Seraías, o sumo-sacerdote. Jeremias 39:3, 13 cita os nomes dos príncipes de Nabucodonosor presentes no sítio final de Jerusalém. Após a morte do governador Gedalias, em Mispá, o restante dos judeus fugiu para o Egito. Apriés [ egipc. ant. Uah-ib-rá, gr. Uahibré; na Bíblia, Horfa ] era rei do Egito (589-570 AEC). (Jeremias 44:30; 37:5-11)
  • d. 587 AEC - Nabucodonosor conquistou a cidade-estado de Tiro (Fenícia).
  • 582 AEC - Nabucodonosor levou mais judeus para o Exílio. (Jereminas 52:23) Conquistou os reinos de Moabe, Amom e Edom.
  • 568 AEC - Nabucodonosor trava uma batalha com Amasis II, no 37.º ano de Nabucodonosor II, foi citada no texto cuneiforme VAT 4956 (Museu Britânico). Amasis II era rei do Egito (570-526 AEC). O último tratamento completo da VAT 4956 foi feito por A. J. Sachs e H. Hunger, Diários astronómicos e textos relacionados de Babilónia, vol. I (1988), Viena, pág. 46-53, em inglês.

Evil-Marduk, filho de Nabucodonosor II, tornou-se rei da de Babilónia. Reinou por 2 anos (561-560 AEC). Foi assassinado pelo seu cunhado, Neriglissar, que se apoderou do reino.

  • 561 AEC - No dia 25 do 12.º mês do 1.º ano de Evil-Marduk, Joaquim, o deposto rei de Judá, deixou de ser um exilado sob detenção para ser amigo pessoal do rei. Recebeu do rei uma pensão alimentar vitalícia. Isso ocorreu no 37.º ano do exílio de Joaquim. (Jeremias 52:31-34; II Reis 25:27-30)

Neriglissar [ em acadiano Nergal-sarusur ], cunhado de Evil-Marduk, tornou-se rei de Babilónia. Reinou por 4 anos (559-556 AEC). Talvez seja o Negral-Sarezer de Jeremias 39:3. Ciro II, filho de Cambises I de Anshã, tornou-se rei da Pérsia.

Labashi-Marduk, filho de Neriglissar, reinou 9 meses (556/555 AEC). Foi assassinado.

Nabonido [ em acadiano Nabu-naid ], um dos cúmplices, tornou-se rei de Babilónia (555-539 AEC). Fixou residência em Tema, deixou seu primogénito, Belsazar [ ], co-regente em Babilónia. (Daniel 5:29)

Cronologia Persa Editar

Ciro II [ persa ant. Koroush, gr. Kyros, "Sol" ou "luz" ], rei da Pérsia (Anshã). Conquistou Ecbátana em 550 AEC. Destronou Astiages, filho de Ciaxares II, rei da Média (585-550 AEC). Tornou-se assim rei da Média e da Pérsia (550-530 AEC). Conquistou Sardes em 547/546 AEC e destronou Creso, rei da Lídia.

  • 539 AEC - Conquista de Babilónia pelos medos e persas. Belsazar é executado. O rei Nabonido foi derrotado na batalha de Opis, a 185 Km de Babilónia, e na batalha de Sippar, a 80 Km de Babilónia. Execução de Belzasar [ em acadiano Belsarussur, gr. Baltasar ]. Nabonido foge para Borsipa, foi capturado e exilado. Entrada triunfal de Ciro II. Dario [ Góbrias ? ], o medo, foi governante no distrito jurisdicional de Babilónia.
  • 538/537 AEC - O 1.º ano de Ciro II após a conquista de Babilónia, foi proclamado o Edito de Ciro. Os judeus regressam a Jerusalém no 7.º mês judaico e o altar foi erigido. Zerobabel (Sesbazar), era o governador de Judá, e Josué (Yoshua), o sumo-sacerdote.
  • 536 AEC - Inicio da construção do Segundo Templo.

Cambises II [ persa ant. Kambujiya ], filho de Ciro II e Nitetis, tornou-se rei da Pérsia. Reinou de 530 AEC até primavera de 521 AEC.

  • Em 525 AEC, na batalha de Pelúsia, Cambises II derrotou Psamético III, filho de Ahmés II, e conquistou Mênfis (Baixo Egito). Foi deportado e executado em Susa.

Dario I [ persa ant. Darayavahush, "que possui bondade", hebr. Daryawesh ], filho de Hidaspes, sátrapa de Pártia, tornou-se rei da Pérsia. Casou com uma filha de Góbrias, e em segundas núpcias, com Atossa, filha de Ciro II. Reinou entre 521-486 AEC. Em Esdras 4, o cita com o congnome Arta khshathra, "grande rei".

  • No 2.º ano de Dario I ( 520 AEC ), fim do embargo a construção do Segundo Templo. Atividade dos profetas Ageu e Zacarias.
  • No 4.º ano de Dario I ( 518 AEC ),
  • No 6.º ano de Dario I ( 516 AEC ), conclusão da construção do Segundo Templo e sua inaguração.
  • Derrotado na batalha de Maratona pelos atenienses, em 490 AEC.

Xerxes I [ persa ant. Khshathra, "rei" ], filho de Dario I e de Atossa, filha de Ciro II, tornou-se rei da Pérsia. Reinou ente 485-465 AEC, desde a Índia até a Etiópia sobre 127 distritos jurisdicionais. Artabazanes, primogénito de Dario, reclamou o direito ao trono. Na Bíblia, é chamado de Assuero, do persa ant. Khchvarcha, "rei leão", em hebr. Ahhachveróch. (Esdras 1:1)

  • No 3.º ano de Xerxes I ( 483 AEC ), a rainha Vasti desobedeceu a ordem do rei durante um banquete real em Susa, com os príncipes e servos do rei. Depois da reconquista do Egito, 1 ano após a morte de Dario I, Xerxes se propunha fazer uma campanha contra Atenas.
  • Batalhas de Salamina e Termópilas, em 480 AEC, e de Plateias e Mícale, em 479 AEC.
  • No 7.º ano de Xerxes I ( 479 AEC ), a judia Ester [ gr. LXX Esther, "estrela", em hebr. Hadassa ], sobrinha de Mordecai [ hebr. Mordekai, deriv. de Madurk ], tomou o lugar de Vasti. Festa de Purim [ tirar as "sortes", hebr. pur, "sorte" ]. Segundo Heródoto, Améstris ( Vasti ? ), filha de Otanes, foi a única esposa legitima de Xerxes.
  • No 12.º ano de Xerxes I ( 474 AEC ), o plano de genocidio dos judeus na Pérsia foi fustrado. Hamã, agagita, foi executado por ordem do rei. Mordecai sucedeu-lhe no cargo de Grão-Vizir.
  • No 21.º ano de Xerxes I ( 465 AEC ), o rei foi assassinado em Persépolis por Artabano, conselheiro de Dario e Xerxes, no dia 14 do 5.º mês (BM 32234). Nos últimos anos de reinado, o rei se dedicou à construção de palácios e monumentos em Persépolis.
  • Temístocles, filho de Néocles, estratega que fugiu de Atenas para a Ásia Menor no final do reinado de Xerxes I, cerca de 470 AEC. Posteriormente, compareceu em audiência perante Artaxerxes I, cerca de 464 AEC. (R. J. Lenardon, A cronologia de Termístocles - ostracismo e o exílio, História 8, 1959, pág. 23 ss., em inglês; A saga de Termístocles, Thames & Hudson, Londres, 1978, cap. 6-9, em inglês; Anthony J. Podlecki, A vida de Temístocles: um estudo crítico das evidências arqueológicas e literárias, McGill-Queen's University Press, 1975, em inglês)

Artaxerxes I [ persa ant. Artakhshathra, "grande rei", gr. Artaxerxex ], segundo de filho de Xerxes I e de Amestris, tornou-se rei da Pérsia. Reinou entre 465-424 AEC. A VAT 5047 identificou o seu 11.º ano de reinado com 454 AEC. A última inscricão que menciona-o em vida é de 24 de dezembro de 424 AEC.

  • No 7.º ano de Artaxerxes I (457 AEC), retorno de exilados com Esdras, sacerdote e copista.
  • No 20.º ano de Artaxerxes I (445 AEC), retorno de Neemias, copeiro do rei, como governador de Judá. Eliasibe é o sumo-sacerdote. Conclusão das muralhas de Jerusalém.
  • No 32.º ano de Artaxerxes I (432 AEC), viagem de Neemias até Artaxerxes I.

Xerxes II, filho de Artaxerxes I, foi assassinado em 423 AEC [ na 89.ª Olimpíada ], pelo seu irmão Sogdiano depois de algumas semanas de reinado. Depois de reinar cerca de sete meses, o usurpador foi executado por Dario II.

Dario II, filho ilegítimo de Artaxerxes I, meio-irmão de Sogdiano, tornou-se rei da Pérsia. Reinou entre 423-404 AEC.

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória