FANDOM


Na religião Testemunhas de Jeová, o Diácono é chamado de Servo ministerial. Diácono, deriva do grego diákono, significa "servo (ministro)", um "servidor", "que serve (ministra)", alguém que "presta um serviço com deligência" a outrem. Em sentido religioso, são os ministros ajudantes dos Anciãos da congregação [ presbyteros em grego ] numa igreja [ ou eclésia; ekklesíai em grego ] local. Eles são ordenados para responsabilidades não pastorais. Espera-se que tenham uma vida cristã exemplar, sejam homens responsáveis e cuidem bem de suas designações. Por sua vez, os Servos ministeriais mais habilitados são aspirantes a futuros Anciãos.

Crê-se que o cargo de Diácono teve origem na escolha de sete homens capazes para cuidar do arranjo de assistência humanitária, deixando assim os Apóstolos livres para a obra de evangelização. (Atos 6:1) O apóstolo Paulo na sua carta aos cristãos de Filipos, citou em conjunto os Superintendentes (Anciãos) e Servos ministeriais. (Filipenses 1:1)

Em Romanos 16:1, Febe, de Cencréia, é chamada de diaconisa [ diakonissa em grego, traduzido por "ministra", "serva", "servidora" ]. Não era um mulher cristã com um cargo pastoral e de liderança na igreja local. Tampouco era diaconisa por serem esposa de um Diácono. Paulo escreve aos cristão de Roma dizendo: "Recebam essa irmã em nome do Senhor, como deve fazer o povo de Deus. Deem a ela toda a ajuda que precisar, pois ela tem ajudado [ auxiliado, protegido ] muita gente e a mim também."

Tarefas não pastorais Editar

Atos 6:1-6 nos diz:

"naqueles dias, aumentando os discípulos, surgiram resmungos da parte dos judeus que falavam grego [ judeus helenizados ] contra os judeus que falavam hebraico, porque as suas viúvas estavam sendo passadas por alto [ discriminadas ] na distribuição diária. De modo que os doze chamaram a si a multidão dos discípulos e disseram: Não é agradável que deixemos a palavra de Deus para distribuir comida às mesas."
"Portanto, irmãos, procurai vós mesmos, dentre vós, sete homens acreditados, cheios de Espírito e de sabedoria, para que os possamos designar para esta incumbência necessária; mas, nós mesmos nos devotaremos à oração e ao ministério da palavra."
"E a palavra falada agradou a toda a multidão, e selecionaram Estevão, homem cheio de Fé e Espírito santo, e Filipe, e Prócoro, e Nicanor, e Timão, e Pármenas, e Nicolau, prosélito de Antioquia da Síria; e puseram-nos diante dos Apóstolos, e, depois de terem orado, estes puseram as suas mãos [ designaram-nos, os ordenaram ] sobre eles."

Seus requisitos Editar

Os requisitos biblicos para Servos ministeriais [ Diáconos ] encontram-se em 1 Timóteo 3:1, 8-13. "Se algum homem procura alcançar o cargo de Superintendente [ ou superintendência, ser Ancião ], está desejoso duma obra excelente." (1 Timóteo 3:1)

"Os Servos ministeriais devem igualmente ser sérios, não de língua dobre [ lit. dupla ], não dados a muito vinho, não ávidos de ganho desonesto, mantendo o segredo sagrado da Fé em consciência limpa. Também, sejam estes primeiro examinados quanto à aptidão, e então sirvam como ministros, estando livres de acusação. ... sejam maridos de uma só esposa, presidindo de maneira excelente aos filhos e às suas próprias famílias." (1 Timóteo 3:8-10, 12-13) Se for casado, sua esposa "deve ser séria, não caluniadora, moderada nos hábitos, fiel em todas as coisas." (1 Timóteo 3:11)

Tem de ser um bom exemplo para outros na assistência às reuniões congregacionais, assembleias e congressos, na participação regular na obra de evangelização pública, na vida familiar, nas escolhas de entretenimento e lazer, no modo de se vestir e se arrumar, e assim por diante. (Organizados, 6 § 3-6) Se ele - ou sua familia imediata - optar por seguir o Ensino Superior, o Corpo de Anciãos terá de reavaliar as suas qualificações.(Carta 6/3/2012)

Responsabilidades Não pastorais Editar

Os Servos ministeriais prestam vários serviços úteis em sua congregação, tornando possível que os Anciãos tenham mais tempo para cuidar das responsabilidades de ensino congregacional e de pastoreio. Ao lhes dar designações, o Corpo de Anciãos deve levar em conta as suas habilidades individuais e as necessidades da congregação.

Eles podem cuidar, por exemplo, do departamento de publicações, dos cartões de território e dos respetivos registos, da manutenção e da limpeza do Salão do Reino. Outros podem operar com os microfones e o equipamento de som, servir como Indicadores ou ajudar os Anciãos de outras maneiras. Podem receber designações relacionadas com a realização das Assembleias e Congressos, ou ajudar na Construção de Salões.

Em algumas congregações, um Servo ministerial pode ser designado para uma determinada tarefa. Em outras congregações, um Servo ministerial pode ter de cuidar de várias tarefas. Em alguns casos, pode ser que mais de um Servo ministerial cuidem da mesma tarefa.

Se não houver Servos ministeriais suficientes, o Corpo de Anciãos pode pedir que batizados que sejam publicadores regulares e exemplares na congregação façam isso. Se não houver batiazos disponíveis ou qualificados, pode-se pedir a uma irmã que seja publicadora regular e exemplares na congregação que ajude em algumas tarefas.

Se não houver Anciãos suficientes, um Servo ministerial habilitado pode ser designado como ajudante do Superintendente de Grupo ou, em alguns casos, servir como Servo de Grupo, sendo supervisionado pelos Anciãos. Podem ser designados para cuidar de algumas partes na Reunião Vida e Ministério, incluindo dirigir o Estudo Bíblico de Congregação e fazer Discursos Públicos.

Evolução do Arranjo Editar

Na revista A Sentinela de 15/11/1895, Charles Russell recomendou às congregações "em toda a parte, quer seus números sejam grandes, quer pequenos, o conselho apostólico de que em todas as congregações os Anciãos sejam escolhidos entre seu número para apascentar e supervisionar o rebanho." (Atos 14:21-23; 20:17, 28) E tinham como ministros ajudantes, os Diáconos.

De acordo com o entendimento da época, a cada ano, ou com mais frequência se necessário, as qualificações dos que poderiam servir em tal cargo eram examinadas pelos batizados e votava-se. (Proclamadores do Reino de Deus, pág. 206) Em 1932, foi eliminada nas congregações a eleição de Anciãos. Em outubro de 1938, todos os "Servos" nas congregações são nomeados pela Sociedade Torre de Vigia.

Em 1972, o Corpo Governante restabeleceu o arranjo de um Corpo de Anciãos em cada congregação, e assistido por Servos ministeriais. Depois de 1 de agosto, cada congregação comecou a receber cartas designando Anciãos (superintendentes) e Servos ministeriais. O novo arranjo entrou em vigor em setembro. (Anuário TJs 1976 pág. 248-9)

Seu Treinamento Editar

Para ser recomendado para ser Servo ministerial, tem de ter no minimo 19 anos, 1 ano de batismo, ser um publicador regular e ser exemplar na congregação. Se tiver condições para servir como Pioneiro Auxiliar ou Pioneiro Regular, isso será valorizado.

Eles recebem treinamento contínuo da parte dos Anciãos da congregação, e ainda, por ocasião da Visita do Superintendente do Circuito. Desde 1983, cursam a Escola do Ministério do Reino (EMR) para Servos ministeriais. Se forem Pioneiros Regulares à 2 ou mais anos, podem cursar a Escola de Evangelizadores do Reino (EER).

Eles podem receber outros privilégios de serviço, se existir uma necessidade específica e se preencher os requisitos para a designação. Em congregações com poucos Anciãos, os Servos ministeriais habilitados podem ser designados para cuidar de algumas responsabilidades normalmente cuidadas por um Ancião, mas tem de estar sob a supervição de um Ancião.

Com o tempo, se o Servo ministerial cumprir bem as suas responsabilidades e se qualificar como pastor e instrutor, ele pode ser recomendado para servir como Ancião de Congregação. Regra geral, ao completar os 25 anos, um Servo ministerial pode ser designado Ancião. Desde setembro de 2014, cabe ao Superintendente do Circuito fazer as designações, segundo as instruções recebidas do Escritório da Filial.