FANDOM


Sodoma e Gomorra são cidades que de acordo com a Bíblia, foram destruídas com fogo e enxofre descido do Céu. Segundo o relato bíblico, foram destruídos por Deus devido a prática de atos homossexuais. Por este fato, o termo sodomia, que deriva de Sodoma, tornou-se num sinónimo de homossexualidade. Os seus habitantes eram cananeus. A expressão "Sodoma e Gomorra", aplica-se por extensão a cinco cidades estados do Vale de Sidim, no Mar Salgado [ ou Mar Morto ]. Eram elas: Sodoma, Gomorra, Admá, Zebolim e Bela (também é chamada de Zoar). (Génesis 10:19; 14:3)

O Vale de Sitim, que significa "Vale dos Campos", era descrito como um lugar paradisíaco. (13:10,11) Ocupava uma área aproximadamente circular no vale inferior do Mar Salgado, actualmente submerso pelas suas águas salgadas. A região é chamada em hebraico de Kikkár que significa "Bacia". A pequena península na margem oriental do Mar Salgado, é chamada em árabe de El-Lisan que significa "A Lingua". Desde da península de El-Lisan ao extremo Sul, seria o Vale de Sidim. O seu fundo regista uma profundidade de 15 a 20 metros, enquanto para norte da península, o fundo desce rapidamente para uma profundidade de 400 metros. O Vale do Rio Jordão situa-se numa importante falha tectónica que desce a abaixo do nível médio do mar. A citada destruição poderá ter sido originada por um forte sismo que terá originado atividade vulcânica.

Evidências históricas Editar

Durante doze anos, as cidades estados do Vale de Sidim foram tributárias de Quedorlaomer, Rei do Elão. [ Quedorlaomer ou Kudur-lahmil, possivelmente significa em elamita "Servo de [deusa] Lagamar". Vários nomes de reis elamitas começam com a palavra Kudur, que significa "servo". A segunda parte do nome Quedorlaomer é a transliteração hebráica do nome da deusa elamita Lagamar. No entanto, nenhum rei elamita de nome Kudur-Lagamar é conhecido até agora em fontes não bíblicas. Anshã foi a primeira cidade capital do Elão no 3.º milénio a.C.. Mesmo após a transferência da capital elamita para Susa, os reis do Elão ainda adotavam o título "Rei de Anshã e Susa". ] No 13.º ano de Quedorlaomer, seus reis vasalos rebelaram-se. A Enciclopédia Funk & Wagnalls menciona que os elamitas destruíram a cidade de Ur, na Baixa Mesopotâmia, por volta de 1950 a.C.. Subsequentemente, exerceram considerável influência na Mesopotâmia. Quedorlaomer lidera uma coligação para punir os rebeldes. Esta força militar incluia os exércitos de Anrafel, Rei de Sinear [ Babilónia ], Arioque, Rei de Elasar [ Larsa ?] e Tidal, Rei de Goim. Invadem a região da Transjordania, do Negebe e o Vale de Sidim [ no Mar Salgado ]. (Génesis 14:1-11)

No 14.º ano de Quedorlaomer, foram derrotaram os refains em Asterote-Carnaim, os zuzins em Hã, os emins em Savé-Quiriataim, e aos horeus no Monte de Seir, descendo até El-Parã, que está junto ao ermo. Depois deram volta e em En-Mispate [ isto é, Cades], derrotaram os amalequitas e os cananeus [ amorreus ] de Hazazom-Tamar. (14:5-8) e no Vale de Sidim.

Pecado dos Sodomitas Editar

Após o retorno de Abraão do Egito, o relato bíblico menciona que os habitantes de Sodoma eram grandes pecadores contra Deus. (Génesis 13:13) Mas isso não impediu uma coexistência pacífica entre os habitantes de Sodoma com o patriarca Abraão, e com o seu sobrinho, Ló. São dois anjos de Deus que dizem a Abraão que "o clamor de Sodoma e Gomorra se têm multiplicado, e porquanto o seu pecado se têm agravado muito." Abraão intercede três vezes pelo povo de Sodoma, e Deus responde que se houvesse em Sodoma dez pessoas justas, não seria destruída. (18:20-33)

Nesse mesmo dia, esses dois anjos materializados descem à cidade e são hospedados na casa de Ló. (Génesis 19:1-3) Antes de se deitarem, os homens da cidade cercaram a casa de Ló, desde do rapaz até o velho, todo o povo numa só turba, queriam ter relações sexuais com seus dois hóspedes. Ló sai na defesa dos seus hóspedes. (19:4-9 - Sodomia tornou-se assim sinónimo de actos homossexuais.) Os anjos intervêm para proteger Ló da multidão e exortam-no a partir sem demora, visto que as cidades do Vale de Sitim iriam ser destruídas. (19:10-13, 23-25)

Ressureição dos Sodomitas Editar

"E tu, Cafarnaum, serás por acaso enaltecida ao céu? Até o Hades descerás; porque, se as obras poderosas que ocorreram em ti tivessem ocorrido em Sodoma, ela teria permanecido até o dia de hoje. Consequentemente, eu vos digo: No Dia do Juízo será mais suportável para a terra de Sodoma do que para ti." (Mateus 11:23,24 NM) "Deveras, eu vos digo: No Dia do Juízo será mais suportável para a terra de Sodoma e Gomorra do que para essa cidade." (Mateus 10:15 NM) "Assim também Sodoma e Gomorra, e as cidades em volta delas, as quais, da mesma maneira como os precedentes, tendo cometido fornicação de modo excessivo e tendo ido após a carne para uso desnatural, são postas diante de nós como exemplo de aviso por sofrerem a punição judicial do fogo eterno." (Judas 7 NM)

Charles Russell acreditava que os habitantes de Sodoma e Gomorra seriam ressussuitados. "Deus propõe-se a trazê-los de volta ao seu estado anterior". (O Objetivo e a Maneira da Vinda do Nosso Senhor, 1877, pág. 25) "Assim, as próprias palavras de Cristo ensinam-nos que não tinham tido a sua oportunidade completa. 'Lembrem-se', diz Cristo acerca dos sodomitas, que 'Deus fez chover fogo e destruiu-os a todos.' Portanto, se se fala da restauração deles, subentende a ressurreição deles." (A Torre de Vigia de Julho de 1879, pág. 7)

"E se Cafarnaum e todo o Israel serão lembrados e abençoados sob o "Novo Pacto," selado com o sangue de Jesus, por que é que os Sodomitas não haviam de também ser abençoados entre "todas as famílias da terra"? Com certeza sê-lo-ão. E lembremo-nos que visto que Deus "fez chover fogo do céu e destruiu-os a todos" muitos séculos antes dos dias de Jesus, quando se fala da restauração deles, isto implica que eles despertarão, retornarão dos túmulos." (O Plano das Eras, Vol. I dos Estudos das Escrituras, 1886, pág. 110)

"Tal como os sodomitas, redimidos pelo mérito do sacrifício de Jesus, serão acordados do sono da morte durante a Era Messiânica, e as suas experiências serão mais toleráveis do que as pessoas de Corazim e Betesaida." (Reimpressão A Torre de Vigia de 15/11/1913, pág. 5351) "Deus deu a promessa de que no seu tempo devido os sodomitas e os judeus serão acordados da morte e receberão um julgamento justo sob o reino justo de Cristo Jesus." (Sua Vingança, Joseph Rutherford, 1934, pág. 38)

1952: serão ressuscitados? Não Editar

"Similarmente, Sodoma não suportou o seu dia de julgamento, tinha falhado completamente, e os judeus sabiam que o seu destino estava selado." (A Sentinela de 1/6/1952, pág. 338, ed. inglês) "Ele [ Jesus ] estava a apontar para a completa impossibilidade de resgate para descrentes ou para aqueles deliberadamente iníquos, porque Sodoma e Gomorra foram irrevogavelmente condenadas e destruídas, para além de qualquer recuperação possível." (A Sentinela de 1/2/1954, pág. 85) "Portanto aqueles que morrerem no Armagedom sofrerão a mesma punição que os habitantes de Sodoma; isto é, não terão uma "ressurreição de julgamento" durante o Dia do Juízo de 1 000 anos, ficarão mortos para sempre." (A Sentinela de 1/4/1955, pág. 200)

"Algumas pessoas já foram julgadas. Já mostraram que não merecem a vida. Estas pessoas não serão ressuscitadas dentre os mortos para o novo mundo. ... O povo da cidade de Sodoma morreu numa chuva de fogo depois de receber uma sentença desfavorável. Em outras ocasiões, outros grupos receberam também sentenças desfavoráveis. Provaram que não mereciam a vida, e não serão ressuscitados." (Do Paraíso Perdido ao Paraíso Recuperado, 1959, pág. 236 § 6)

"Os Julgamentos Divinos são finais. Visto que o Juiz supremo nunca comete um engano, ele não precisa de reconsiderar nenhum julgamento que fez no passado. Os seus julgamentos são definitivos. Isto significa que as pessoas que morreram no Dilúvio dos dias de Noé nunca serão ressuscitadas para comparecerem perante um tribunal outra vez. O mesmo é verdade para os habitantes de Sodoma e Gomorra e para Adão e Eva. Todos eles tiveram o seu dia de julgamento perante o grande Juiz do Universo e foram todos condenados à destruição. Eles nunca terão de novo uma existência consciente." (A Sentinela de 15/1/1960, pág. 53)

1965: serão ressuscitados? Sim Editar

"Como no caso de Tiro e Sídon, Jesus mostrou que Sodoma, má como fora, não chegara ao estado de não poder arrepender-se. ... Portanto, o recobro espiritual das pessoas mortas de Sodoma não é irrealizável." (A Sentinela de 15/9/1965, pág. 555 § 9)

"Então, o versículo seguinte se refere ao Dia do Juízo, dizendo: "Consequentemente, eu vos digo: No Dia do Juízo será mais suportável para a terra de Sodoma do que para ti." (Mateus 11:24) Semelhantemente, em Mateus 10:15, acham-se registradas as palavras de Jesus: "Deveras eu vos digo: No Dia do Juízo será mais suportável para a terra de Sodoma e Gomorra do que para essa cidade", em que as pessoas rejeitariam a mensagem levada pelos discípulos de Jesus. Para que fôsse "mais suportável para a terra de Sodoma e Gomorra" do que para outros, seria mister que os anteriores habitantes daquela terra estivessem presentes no Dia do Juízo. Não é a terra literal, o solo, que há de ser julgado. Revelação capítulo 20 mostra que serão as pessoas levantadas dentre os mortos que ficarão "diante do Trono". Nem será proferido o julgamento sôbre elas como grupos, como anteriores habitantes de certas terras, mas serão julgadas individualmente segundo as suas ações durante o tempo do julgamento. Portanto, aparentemente, as pessoas que costumavam viver naquela terra serão ressuscitadas. (Revelação 20:12,13)" (A Sentinela de 1/5/1966, pág. 287)

"Ao dizer isso, Jesus mostrou que pelo menos algumas das pessoas injustas das antigas Sodoma e Gomorra estarão presentes na terra durante o Dia do Juízo. Embora tenham sido bastante imorais, podemos esperar que algumas delas sejam ressuscitadas. (Génesis 19:1-26) Jeová, em sua misericórdia, as trará de volta de modo a terem oportunidade de aprender a respeito de seus propósitos." (Poderá Viver para Sempre no Paraíso na Terra, 1983, pág. 179 § 9) "Aparentemente, as próprias cidades, em vez de todos os seus habitantes, foram destruídas para sempre, - pois parece que pelo menos alguns indivíduos que residiam lá serão ressuscitados." (A Sentinela de 15/2/1983, pág. 26)

O Volume 2 do Estudo Perspicaz das Escrituras, 1988, na ed. inglês, na pág. 985 [ referimo-nos aqui à edição em inglês lançada em 1988 ], contradisse as edições posteriores em outros idiomas. A edição inglesa deste livro foi lançada no mesmo congresso que o livro Revelação - Seu Grandioso Clímax Está Próximo (1988), mencionado a seguir. Um dos livros diz 'Sim' e o outro diz 'Não'.

1988: serão ressuscitados? Não Editar

"a Bíblia usa Sodoma e Gomorra e o Dilúvio como exemplos para o fim destrutivo do atual sistema iníquo. É evidente, pois, que os a quem Deus executou naqueles julgamentos passados sofreram destruição irreversível." (A Sentinela de 1/6/1988, pág. 31) "Jesus usou aqui [ em Mateus 11:23,24 ] uma hipérbole para mostrar que aqueles líderes religiosos, que rejeitavam o filho de Deus e seus ensinos, eram ainda mais repreensíveis do que os sodomitas. Judas 7 declara que aqueles sodomitas sofreram a punição judicial do fogo eterno, significando a destruição eterna." (Revelação - Seu Grandioso Clímax Está Próximo, 1988, pág. 273)

"Serão essas pessoas, tão terrivelmente iníquas, ressuscitadas durante o Dia do Juízo? Pelo que parece, as Escrituras indicam que não." "De fato, por causa de sua excessiva imoralidade, as pessoas de Sodoma e das cidades circunvizinhas sofreram destruição, da qual pelo que parece nunca serão ressuscitadas." (Poderá Viver para Sempre no Paraíso na Terra, na ed. 1989, pág. 179 § 9) A edição de 1989 contradiz a edição de 1983.

Depois de citar Mateus 10:15 e 11:23,24, explica: "Naturalmente, Judas 7 diz que Sodoma e Gomorra "são postas diante de nós como exemplo de aviso por sofrerem a punição judicial do fogo eterno". De modo que a declaração de Jesus evidentemente apenas usou uma hipérbole para salientar quão improvável era que pessoas de certas cidades judaicas do primeiro século se arrependessem, mesmo no Dia do Juízo." (Volume 3 do Estudo Perspicaz das Escrituras, ed. português em 1992, pág. 619.) Esta edição do dicionário bíblico contradiz a edição anterior de 1988, em inglês. Nesta passagem, de forma muito hábil, os editores esquivam-se a dizer abertamente que os habitantes de Sodoma e Gomorra não serão ressuscitados, embora seja esse o sentido que eles querem transmitir.

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória