FANDOM


Neste artigo são feitas análises comparativas dos textos considerados mais contestados na Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas (TNM), com observações consideradas pertinentes. Traduzir não é colocar as palavras de um idioma em outro. É expressar o sentido das palavras em outro idioma o mais fielmente possível, conforme seja permitido gramaticalmente e pelo seu contexto. Quando envolve ideias preconcebidas e a sustentação de doutrinas dogmáticas de ambas partes é comum a controvérsia.

Textos dos Evangelhos e Atos

Mateus 1:23 - "Eis que a virgem [ παρθένος, parthenos ] ficará grávida e dará à luz um filho, e dar-lhe-ão o nome de Emanuel [ Emmanouél, "Connosco está Deus"]." (TNM) O termo parthenos significa uma "moça jovem" que ainda não teve relações sexuais, que manteve a integridade do hímen. Veja Isaías 7:14. Maria estava noiva de José, o carpinteiro. São naturais de Belém. Ela era uma virgem que engravidou por ação do Espírito Santo de Deus. Ambos são da tribo de Judá e descendentes da Casa Real de David. (Lucas 1:34-38; Mateus 1:18-25)

Mateus 2:1 - Quando Jesus nasceu, Herodes era o Rei da Judeia. Veja Lucas 1:5. Ele reinou entre 40/37 a 4/1 AEC. Os historiadores datam a sua morte após o Eclipse Solar da noite de 12 para 13 de março do ano 4 AEC. A STV defende que ele morreu em 1 AEC. Em 40 AEC, foi nomeado Rei da Judeia [ rex socius ] pelo Senado romano. Seu 1.º ano de reinado foi 39/38 AEC. Flávio Josefo fixa a conquista de Jerusalém por Herodes, 27 anos depois da conquista de Jerusalém por Cneu Pompeu [ 63 AEC - 27 ]. (Antiguidades Judaicas, Cap. 14, pág. 487-8) Isto aponta para 37 AEC, como ano da conquista de Jerusalém com a ajuda de Caio Sósio, governador da Província da Síria. É executado Antígono, o último rei da Dinastia Asmorreia e Sumo-sacerdote dos judeus. Isto assinala o início do reinado de fato de Herodes sobre a Judeia. Seu 1.º ano de reinado após a conquista de Jerusalém, seria 36/35 AEC. Segundo Josefo, Herodes faleceu 37 anos depois de ter sido designado rei [ em 37 AEC ] e 34 anos depois de conquistar Jerusalém [ 36 AEC - 34 ]. (Antiguidades Judaicas, Cap. 17, pág. 190-1) Isto coloca o ano da sua morte em 2/1 AEC. Josefo diz que Herodes tinha cerca de 70 anos quando morreu. (Cap. 17, pág. 148 § 1) Morreu pouco depois de um Eclipse Lunar e antes da festividade da Páscoa - 14 de nisã (março/abril). Diz a tradição que morreu no dia 2 de sebate (janeiro/fevereiro). (Cap. 17, pág. 167 § 4, 213 § 3) Ocorreu um Eclipse Lunar total em 8 de janeiro de 1 AEC, 3 meses antes da Páscoa e 18 dias antes do dia tradicional da morte de Herodes. Outro Eclipse Lunar parcial, ocorreu a 27 de dezembro de 2 AEC.

Mateus 2:2, 11 - Os astrólogos [ ou magos, μάγοι, magoí ] vindos de terras a oriente de Jerusalém, "prostrando-se, prestaram-lhe homenagem [ proskuneó ]" (TNM) ao menino Jesus, o futuro Rei dos Judeus. O termo proskuneó significa "adorar", cultuar, prestar serviço sagrado. Significa ainda "prestar homenagem", "curvar diante de" numa atitude de reverência ou em reconhecimento. Eles ofereceram-lhe três tipos de presentes. Segundo a tradição, eles seriam três. Seriam sacerdotes astrólogos, talvez oriundos de Babilónia. No século III, foram chamados de "reis" com base no Salmo 72:11. No século IX, foram chamados de Belchior, Baltasar e Gaspar.

Mateus 2:2, 9 - A "estrela" de Belém não era uma estrela [ astêr ] comum, visto que seguia um percurso invulgar de oriente para ocidente, sempre adiante dos astrólogos. Seria um ponto luminoso que ao observador comum se pareceria uma estrela. Ela permitiria ao Rei Herodes achar o futuro Rei dos Judeus. Primeiramente, foram conduzidos até Jerusalém, e ai, entraram em contato com Herodes. Depois, a "estrela" os conduziu de Jerusalém até Belém. E uma vez chegados a Belém, "se deteve sobre o lugar onde estava o menino". Não é possível determinar a natureza desta "estrela". Pensou-se de início que seria a passagem de um cometa ou astróide. Em vez disso, pode ter sido uma conjugação planetária. Muitos teólogos a encaram como uma estrela teológica.

Mateus 2:13-15 - Um anjo ordenou a José que fuja com Maria e o menino Jesus para o Egito. Mateus fez uma aplicação de Oséias 11:1. Permaneceram em terras do Egito até a morte do Rei Herodes. Sucedeu-lhe Herodes Arquelau, seu filho, não com a dignidade de Rei [ rex socius ], mas como Etnarca. (2:22) José, após a morte do Rei Herodes, regressa com sua família do Egito para Nazaré, na Galileia.

Mateus 2:16 - O Rei Herodes mandou matar todas as crianças do sexo masculino de Belém com idade inferior a 2 anos. Nos versículos 17-18, Mateus fez aplicação de Jeremias 31:15. O "pranto de Raquel" representa primeiramente o Exílio das tribos de Manassés, Efraim e Benjamim. Após o nascimento de Jesus, José e sua família residiram em Belém por mais de 1 ano.

Mateus 3:1, 3 - "Naqueles dias veio João Batista pregar no ermo da Judeia." [ Veja Lucas 3:1-2 ] "Este, de fato, é aquele de quem se falou por intermédio de Isaías, o profeta, nestas palavras: Escutai! Alguém está clamando no ermo: Preparai o caminho de Jeová [ YHWH ]! Fazei retas as suas estradas." (TNM) "Porque este é o referido por intermédio do profeta Isaías: Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor [ YHWH ], endireitai as suas veredas." (ARA) É uma citação de Isaías 40:3 e de Malaquias 3:1. Foi o profeta João, o Batizador [ e não João Batista ], que preparou os judeus para a vinda do prometido Messias [ ou Cristo, "Ungido" ]. (Mateus 3:11; João 1:15; 3:28-30) É mais correto dizer João, o Batizador, em vez de João Batista.

Mateus 16:18-19 - "eu te digo: Tu és Pedro [ Πέτρος, Pétros, "pedra", nome próprio; em lat. Petru ], e sobre esta rocha [ πέτρᾳ, petra, "pedra"; nome comum ] construirei a minha congregação [ ecclésia, "Igreja" ] ... Eu te darei [ a Pedro ] as chaves do reino dos céus, e tudo o que amarrares na terra, será a coisa amarrada nos céus, e tudo o que soltares na terra, será a coisa solta nos céus." (TNM) Este trocadilho gerou equívocos. Não é usado líthos ou lithon, pedra(s) de pequena dimensão. O termo "rocha" (TNM) deriva do lat. rocca, pelo fr. roche. Pedro é a tradução aproximada do aram. Kephas, "pedra". (João 1:42)

  • Este texto é usado pela Igreja Católica em apoio do ensino do Primado de Pedro entre os apóstolos. Pedro, junto com os demais apóstolos e anciãos de Jerusalém, teve um papel importante na formação e na edificação da Igreja Cristã. Cristo exortou Pedro a abandonar a pesca, para ser seu discípulo e um dos 12 apóstolos. (João 11:15-17) A Igreja Cristã é fundada por Jesus Cristo, a "pedra angular" [ lithon akrogōniaion ]. (I Pedro 2:4-8; Efésios 2:20) Seus 12 apóstolos são as principais colunas. O uso das "chaves do reino dos céus" foi confiado a Pedro. Isto se deu quando os cristãos judeus foram Ungidos com Espírito Santo. Em seguida, foram os cristãos samaritanos, e por fim, os cristãos gentios incircuncisos. Sobre presença de Pedro na cidade de Roma, veja I Pedro 5:13.

Mateus 24:3 - O termo parousia significa basicamente "vinda" ou "chegada". Em 1864, na tradução interlinear Emphatic Diaglott, Benjamin Wilson a traduziu por "presença". Nos fins de 1873, Nelson Barbour ensinou a presença (parousia) invisível de Cristo no ano 1874. Antes, Barbour ensinava uma vinda (parousia) de modo visível para 1873. Este ensino foi assimilado por Charles Russell. Em 1943, se deu a revisão da cronologia da STV para o AT. A STV muda a segunda parousia para outubro de 1914. Veja Mateus 24:34.

Mateus 24:29 - "haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas." (TNM) "Devem estes sinais ser interpretados como literais ou simbólicos? E será que eles já se cumpriram? Nós respondemos que eles tiveram um cumprimento literal, e agora estão ter um cumprimento simbólico muito mais momentoso. Em 19 de maio de 1780 ... um escurecimento fenomenal do Sol ocorreu ... cobrindo 320 mil milhas quadradas ... na Nova Inglaterra e Estados Centrais ... maravilhosa chuva de meteoros da manhã de 13 de novembro de 1833 ... estes sinais literais servem ao seu propósito designado de chamar a atenção para o Tempo do Fim." (Estudos das Escrituras Vol. IV, 1897, pág. 585, 587-8, 590, em inglês)

Mateus 24:34 - "Deveras, eu vos digo que esta geração [ gená ] de modo algum passará até que todas estas coisas ocorram." A partir 1951, a STV ensina que "esta geração" é a geração cronológica de 1914. Em 1995, o ensino é ajustado para geração de contemporâneos. (A Sentinela de 1/6/1999, pág. 8-20) Atualmente, "esta geração" se aplica ao restante das Testemunhas Ungidas. Eles deduziram isso a partir de 24:32-33. A STV admite que no passado cometeram erros ao propor datas. Minimizam isso por dizer que isso não elimina nem distorce a veracidade das profecias bíblicas. Veja Mateus 24:36. Enfatizam que as publicações da STV e seu Corpo Governante não são inspiradas por Deus, e que nunca deveriam ter sido vistos desta forma.

Mateus 24:36 - "Acerca daquele dia e daquela hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, mas unicamente o Pai." (TNM) Atos 1:6-7 reza: "Não vos cabe obter conhecimento dos tempos ou das épocas que o Pai tem colocado sob a sua própria jurisdição". (TNM) Baseadas em suposições fantasiosas e equívocos, a STV criou expetativas para determinados anos - 1874, 1878, 1881, 1914, 1918, 1925, 1942, 1975, 2034. Ensinaram isso como uma suposição, ora com uma certeza absoluta. Alegam que o Corpo Governante não é um falso profeta. Seus membros não têm o dom de profecia. A STV diz que "religiões fundamentalistas muitas vezes procuram tirar da Bíblia o que ela não contém: o dia e a hora exatos do fim deste mundo." (A Sentinela de 1/4/1997, pág. 4)

Mateus 24:45-47 - Este texto é usado pela STV para legitimar a existência e autoridade do "Escravo fiel e discreto" e seu Corpo Governante. Comentadores bíblicos entendem esta passagem como uma parábola, para encorajar cada cristão a ser um escravo (servo) Fiel e Discreto, em vez de um escravo (servo) Mau. No relato paralelo de Lucas, é chamado de "mordomo" ou administrador doméstico. A STV ensina que Cristo profetizou que no tempo do fim entre o seu povo, haveria um Escravo fiel e discreto. Proveria ensino religioso para a inteira família de Deus na Terra. Atuaria qual seu canal de comunicação e supervisionando o andamento dos interesses de Cristo em toda a Terra. (A Sentinela de 15/1/1969, pág. 51)

  • Entre 1896 e 1927, a STV ensinou que Russell era o Escravo fiel e discreto. (A Torre de Vigia de Sião de 1/3/1896, pág. 1946; Estudos das Escrituras, vol. I, pág. 7; vol. IV, pág. 613; vol. VII, pág. 3, 5, 418, 422; A Torre de Vigia de 1/3/1917, pág. 6049, em inglês; Harpa de Deus, 1921, pág. 229) Em 1927, o Escravo fiel e discreto se tornou numa classe. (Anuário das TJs de 1975, pág. 88) Divulgou a ideia de que Russell nunca afirmara ser esse Escravo fiel. (A Torre de Vigia de 15/2/1927, pág. 56; Aproximou-se o Reino de Deus de Mil Anos, 1975, pág. 346) Omite que antes já tinha publicado que a STV "proclama sem hesitações o irmão Russell como aquele servo fiel e sábio". (A Torre de Vigia de 1/3/1917, pág. 6049, em inglês) Em 1993, admite parcialmente a verdade por dizer: "O conceito que ela [a esposa de Russell] expressara sobre a identidade do servo fiel chegou a ser sustentado de modo geral pelos Estudantes da Bíblia por uns 30 anos." Atribui toda a responsabilidade por este ensino à esposa de Russell, isentando de responsabilidades a Diretoria da STV. (Testemunhas de Jeová - Proclamadores do Reino de Deus, 1993, pág. 143)
  • Raymond Franz, ex-membro do Corpo Governante, ao se referir a este assunto, diz: "Essa é provavelmente a fição mais óbvia que podemos encontrar em todo o conjunto de explicações sobre as Escrituras publicadas pela organização. O fato é que nem sequer 1% do número de Ungidos tem a mínima parte em determinar o que as Testemunhas de Jeová recebem sob a forma de material bíblico ou na elaboração de políticas ou na direção das atividades dessas pessoas ... A esmagadora maioria dos artigos publicados na revista A Sentinela foram escritos por pessoas que não pertencem à classe Ungida." (Em Busca de Liberdade Cristã, 1991, pág. 154)

Mateus 26:28 - A STV usa "isto significa" em vez de "isto é". (Marcos 14:22-25; Lucas 22:17-20; I Coríntios 11:24-28; João 6:32-58) O vinho representa o sangue de Cristo derramado, a sua vida perfeita imaculada. O pão não fermentado representa o seu corpo sem pecado. Eles não comiam literalmente o corpo de Cristo e por beber seu sangue. A morte de Cristo (Messias) - o verdadeiro cordeiro pascal - validou um Novo Pacto. A celebração em memória da morte de Cristo (14 de nisã) substituiu a festividade da Páscoa Judaica. Este Novo Pacto substituiu a Lei mosaica. O termo para "pacto", διατίθημι, diathéké, significa um testamento, pacto ou uma aliança. Na seção 13760 do Catecismo da Igreja Católica define a doutrina Transubstanciação. Diz que pela consagração pelo sacerdote do pão e do vinho se opera a mudança de toda a substância do pão na substância do Corpo de Cristo e de toda a substância do vinho na substância do seu Sangue.

Mateus 27:26 - Pilatos mandou que Jesus "fosse chicoteado e o entregou para ser pregado numa estaca." (TNM) Além das dores, ferimentos e hemorragias, a flagelação provocava sérias lesões torácicas musculares e pulmonares. Os condenados poderiam morrer durante a punição. Antes de ser preso, a tremenda tensão mental de Jesus já havia provocado a hiperidrose. (Lucas 22:44) As lesões da flagelação são agravadas enquanto carrega a barra vertical.

Mateus 27:22-26 - A STV traduz σταυρόν, stauron, e σταυρός, stauros, por "estaca de tortura" (TNM) em vez de cruz. Cruz era o instrumento comum de suplício usado pelos romanos. Não tinha nenhum significado religioso. Os condenados eram fixos ao poste vertical com os braços abertos numa barra travessal, chamada em lat. de patibulum. Eles tinham de carregar o patibulum até ao local de execução. (Mateus 27:32) Não é conhecido o formato da stauros e nem o ângulo da abertura dos braços. Pode ter sido uma cruz commissa - cruz em forma de "T". Pilatos ordenou que por cima da cabeça de Jesus, colocasse por escrito o motivo da sua condenação – em hebraico, grego e latim.

  • Outro sinónimo de stauros é xýlon, que significa "madeiro". (Atos 5:30; 10:39; 13:29; Gálatas 3:13; I Pedro 2:24) Encontramos xýlon na LXX em Esdras 5:14; 6:11 e 7:9-10. Era considerado amaldiçoado o pendurado no madeiro. (Deuteronómio 21:22-23) Cruz ganhou o significado de morte e ressurreição de Cristo – o símbolo universal do Cristianismo. Em 1891, o crucifixo foi adotado para a capa de todas as revistas A Torre de Vigia de Sião. Em 1928, passou a ser encarado pela STV como símbolo religioso não cristão e seu uso deveria ser descontinuado. (Anuário das TJs de 1975, pág. 148) Uso idólatra da Cruz é uma prática desaprovada. (Êxodo 20:2-5; Deuteronómio 4:25-26)

Mateus 27:34 - Antes de Jesus Cristo ser pregado na staurós, "deram-lhe a beber vinho misturado com fel [ de sabor amargo ]; mas ele, depois de prová-lo, recusou-se a beber." (TNM, NVI, MC) Salmos 69:21 diz que seria dado ao Messias por alimento "uma planta venenosa", e para a sede, vinho acre. Segundo Marcos 15:23, "deram-lhe a beber vinho com mirra". O vinho diluído com mirra teria um efeito entorpecente. Reza a tradição que as mulheres de Jerusalém tinham por costume fazer essa poção para diminuir as dores dos crucificados. (Bíblia de Estudo NVI) Mas quando lhe deram para beber vinho acre [ ou vinagre, lat. vinum acre ] numa haste de hissopo, Jesus umedeceu sua boca. (João 19:28-30)

Mateus 27:36 - Apenas o apóstolo João diz que Jesus carregou a stauros. (João 19:16) Mateus, Marcos e Lucas, relatam que foi Simão de Cirene. Ele "que passava por ali vindo do campo", foi requisitado para carregar a trave vertical da stauros até ao lugar da execução. Jesus estava fisicamente debilitado pela flagelação. (Mateus 27:32; Lucas 23:26; Marcos 15:21)

Mateus 27:46 – "Por volta da nona hora, Jesus exclamou com voz alta, dizendo: «Eli, Eli, lama sabactâni?» isto é: «Deus meu, Deus meu, por que me abandonaste?»" (TNM) "Pelas três horas da tarde Jesus deu um forte grito: «Eli, Eli, lamá sabactâni?», isto é: «Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?" (BJ, MC) A expressão ἐλώι / ηλι ἐλώι / ηλι λεμα σαβαχθανι é uma exclamação de sofrimento em forma interrogação é uma citação do Salmos 22:1. É omitida por Lucas que regista - e só ele - duas outras: "Perdoa-lhes, Pai, porque não sabem o que fazem" (23:34) e "Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito" (23:46). Não foi um ato de desespero. A pronúncia galileia não foi compreendida por alguns dos presentes. Parecia lhes que clamava por Elias [ hebr. ElYaH ]. (27:47) Veja Hebreus 5:7. Alguns manuscritos vertem por Eloi, Eloi, lamá sabactâni em Marcos 15:34-35. O termo eli ay-lee, significa "Deus meu". El é a abreviatura hebr. de Elohím. Por sua vez, lama sabactâni têm uma morfologia aramaica.

Mateus 27:46, 50 – Jesus Cristo morreu numa sexta-feira por volta das 15 horas [ pela 9ª hora ] de 14 de nisã (março-abril) de 33 EC. (João 19:14, 31) O pôr-do-sol divisava o início do dia de sábado - o 15 de nisã. (J. K. Fortheringham, Jornal de Estudos Teológicos n.º 35, pág. 146-52, 204 e segs., em inglês) Foi ressuscitado antes do amanhecer do dia de domingo - 16 de nisã. Isso foi antes do começo da deterioração do corpo. (Mateus 28:1-2, 4; Marcos 16:2; João 20:1)

  • Jesus foi pregado pelos pulsos, não nas palmas da mão. Feito isso, a barra vertical é erguida. É pregado pelos pés, cada prego num calcanhar. (Lucas 24:37, 39-40; João 20:24-25, 27) Depois de pregado no madeiro, tinha de suportar a tortura das dores, crescente dificuldade respiratória, anemia progressiva e pela desidratação global. Momentos antes de morrer, clamou em alta voz com prefeita lucidez e teve forças para dar um alto grito. Não estava em choque hipovolémico e hipoxia. O "alto grito" parece ter sido uma dor violenta - uma paragem cardíaca. Segundo o apóstolo Pedro, Deus o afrouxou das agonias da morte. (Atos 2:24, 27; Salmos 16:10) Seu corpo ao ser furado pela lança, escorreu água e sangue. Talvez efeito da acumulação de fluidos na pleura e no pericárdio. Visto que morrera, não foi necessário quebrar suas penas para apressar a morte. (João 19:36; Êxodo 12:46)
  • Apressadamente, as mulheres lavam o corpo e aprontam-no com mirra e aloés para o sepultamento. José de Arimateia e Nicodemos, seus discípulos, estão presentes. Tinha que ser feito antes do início do dia de sábado 15 de nisã, isto é, antes do pôr-do-sol. O corpo foi enrolado em ligaduras [ "faixas" na TNM ] de linho puro. Uma pequena peça de tecido cobria o rosto, em lat. chamado de sudarium. (João 19:40; 20:6-7; 11:44) Foi colocado num túmulo novo escavado na rocha próximo do local da execução e selado com uma grande pedra. Por solicitação dos líderes religiosos judeus, Pilatos destacou soldados romanos para guardar o túmulo.

Mateus 27:51-53 - "a terra tremeu, e as rochas se fenderam. E abriram-se os túmulos memoriais [ não tafos, túmulo ou sepulcro individual ] e muitos corpos dos santos que tinham adormecido foram levantados [ ἔγερσιν, egersin ] (e pessoas, saindo dentre os túmulos memoriais depois de ele ter sido levantado, entraram na cidade santa), e tornaram-se visíveis a muitas pessoas." (TNM) Isso ocorreu a quando da morte de Jesus. Muitas traduções dão a entender que houve uma ressurreição. O verbo ἐγείρω, egeiró, significa "levantar". A STV afirma que o texto não se refere a uma ressurreição. Os cadáveres terão sido lançados para o exterior dos túmulos, ficando à vista dos observadores.

Textos de Lucas e João

Lucas 2:1-2 - Antes do nascimento de Jesus, César Augusto decretou que todos os habitantes do Império fossem se recensear, cada um à sua cidade natal. Isso obrigou José e sua esposa Maria, em adiantado estado de gravidez, a viajar 150 km de Nazaré até Belém, a fim de se registar. Não seria por isso um recenseamento para fins tributários. "Este primeiro recenseamento" fora ordenado quando Públio Sulplício Quirínio "era governador da Síria". (Lucas 2:1) O termo hegemoneuo traduzido por "governador", significa "estar liderando" ou "a cargo de". Pode se referir a "governador territorial", "governador de província" ou "governador militar". Foram governadores da Província da Síria durante a parte final do reinado de Herodes: Sentio Saturnino, de 9-7 AEC, e Públio Quintílio Varo, de 6-4 AEC. Quirínio só foi governador entre 6-9 EC. O único recenseamento relacionado a Quirínio - documentado fora dos Evangelhos - é referido pelo historiador judeu Flávio Josefo como tendo ocorrido no início do seu governo. (Antiguidades Judaicas, Vol. 18, Cap. 26) Este recenseamento para fins tributários não seria o "primeiro recenseamento". Foi citado em Atos 5:37 num comentário de Gamaliel. Nota: Terá Lucas terá feito uma antedatação? (Lucas 1:3) Terá havido confusão entre Quintílio e Quirínio?

Lucas 1:5 - Herodes era o Rei da Judeia entre 40/37 a 4/1 AEC. A STV defende que ele morreu em 1 AEC. Veja Mateus 2:1. Os historiadores acham que morrreu após o Eclipse Solar da noite de 12 para 13 de março do ano 4 AEC. Em síntese, teria morrido entre 13 de março e 11 de abril (o dia que se iniciou a festividade da Páscoa). No ano 525 EC, o monge romano Dionísio, o Pequeno, convencionou o nascimento de Jesus em 25 de dezembro do ano 754 «ab urbe condita» (depois da data tradicional da fundação da cidade de Roma).

Lucas 2:14 - "Glória a Deus nas maiores alturas, e na terra paz entre homens de boa vontade." (TNM) "paz na terra, boa vontade para com homens". (ACF) "paz na terra entre os homens de boa vontade." (AA) Diz o texto gr. δοξα εν υψιστοις θεω και επι γης ειρηνη εν ανθρωποις ευδοκια. (NT Westcott & Hort) Sua transliteração: doxa en upsistois Theô kai epi gês eirênê en anthrôpois eudokia. A tradução usual "paz na terra aos homens de boa vontade" apoiada na Vulgata, não dá o sentido exato de eudokia. Significa antes "paz entre os homens que apreciam o Seu favor". A expressão "boa vontade", eudokia, está relacionada com a benignidade imerecida de Deus, não com a boa vontade das pessoas. "paz na terra entre os homens, a quem ele quer bem." (ARA) "paz na terra para as pessoas a quem ele quer bem!" (NTLH) "paz na terra aos homens aos quais ele concede o seu favor." (NVI) "paz na terra aos homens do seu agrado." (MC) "paz na terra aos homens por ele amados." (BJ)

Lucas 3:1-2 - "No décimo quinto ano do reinado de Tibério César [ 29 EC ], quando Póncio Pilatos era governador da Judeia [ 26 a 36 EC ] e Herodes [ Antipas ] era governante distrital [ ou tetraca ] da Galiléia, mas Filipe, seu irmão, era governante distrital do país da Itureia e de Traconítis, e Lisânias era governante distrital de Abilene, nos dias do principal sacerdote Anás e de Caifás [ 18 a 36 EC ], veio a declaração de Deus a João, filho de Zacarias, no ermo." (TNM)

Lucas 21:24 - "Jerusalém será pisada pelas nações, até se cumprirem os tempos designados das nações [ kairoi ethnōn ]." (TNM) "Jerusalém será pisada pelos gentios, até que os tempos dos gentios se completem." (ARA) O termo ethnōn significa povos não judeus, gentios, estrangeiros. É o período de tempo em que Jerusalém, a cidade santa, ficaria sob o domínio de reinos estrangeiros. Jerusalém figurativa era o Reino de Deus.

  • Usando os cálculos de John Acquila Brown publicados em 1823, Nelson Barbour foi quem primeiro associou a ideia de que os "sete tempos" de Daniel 4 eram a duração dos "tempos dos gentios". Os "sete tempos" são 2520 anos, ou seja, 7 tempos x 360 dias lunares. Este período iria de outubro de 607 AEC - suposto ano da destruição de Jerusalém - a outubro de 1914 EC. Para Acquila Brown era a duração do domínio dos reinos estrangeiros sobre a humanidade.
  • Em 1875, Barbour publicou seus cálculos na sua revista Arauto da Manhã. Em 1876, Charles Russell escreveu no periódico de George Storrs que "os tempos dos gentios" terminavam em 1914. (O Examinador da Bíblia de 10/1876, Nova Iorque, pág. 27-8, em inglês) Seria a vinda do Armagedão - a "completa destruição dos poderes ... deste mundo maligno - político, financeiro, eclesiástico". (A Torre de Vigia de Sião de 12/1879, pág. 3; de 3/1880, pág. 2, em inglês; Estudos das Escrituras Vol. IV - O Dia da Vingança, 1897, pág. 604, 622, em inglês) Nenhum deles previu a ocorrência da I Guerra Mundial (1914-1918) e nem os eventos que iriam suceder.

Lucas 23:42-43 - O crucificado arrependido disse: "Jesus, lembra-te de mim quando entrares no teu reino." E Jesus respondeu-lhe: "Deveras, eu te digo hoje [ ou neste dia, σήμερον, sémeron ]: Estarás comigo no Paraíso." (TNM) Outras traduções vertem diferente: "Em verdade te digo: Hoje estarás comigo no Paraíso." O texto gr. diz: καὶ εἶπεν αὐτῷ ἀμήν σοι λέγω | σήμερον μετ’ ἐμοῦ ἔσῃ ἐν τῷ παραδείσῳ. Sua transliteração: "kai eipen autw amhn soi legw | shmeron met emou esh en to paradeisw." (NT Westcostt & Hort) Ele não esteve com Jesus no Paraíso no mesmo dia. Jesus foi ressuscitado no 3º dia e só ascendeu ao céu ao fim de 40 dias. O Paraíso está relacionado com o vindouro Reinado de Cristo.

João 1:1 - "No princípio era a Palavra, e a Palavra estava com o Deus, e a Palavra era deus." (TNM ed. 1971) Posteriormente, foi alterado para "a Palavra era [um] deus". (TNM ed. 1984) A grande maioria das traduções verte por "e Deus era a Palavra" ou "a Palavra era Deus". Na mesma sentença se afirma que a Palavra "estava com o Deus". Compare com 1:1-2, 14, 18. O texto gr. diz: εν αρχη ην ο λογος | και ο λογος ην προς τον θεον | και θεος ην ο λογος. Sua transliteração: en arch hn o logos | kai o logos hn pros ton theon | kai theós en o logos. (NT Westcott & Hort) Sua tradução: "No princípio, era a Palavra [ ο λογος, o lógos ], e a Palavra estava com o Deus [ ην προς τον θεον = hn pros ton theon ] e deus era Palavra [ και θεος ην ο λογος = kai theós en o logos ]."

  • Gramaticalmente é aceite "[um] deus era a Palavra", com deus em letras minúsculas. Isto significa que a Palavra era uma divindade, ser divino ou de natureza divina. Em Isaías 9:6, o Messias [ "Ungido", gr. Christo ] tem o nome título "Deus Poderoso". (TNM) "Deus Forte" nas versões MC e BJ. Não é o Deus Todo-poderoso. Aqui a Vulgata traduziu o hebr. El por "anjo". Sobre outros usos de theós, veja João 10:34-36, Atos 28:6 e II Coríntios 4:4. A adoração é exclusiva ao Deus Todo-poderoso. (Mateus 4:8-10) Jesus Cristo é o Filho de Deus, o primogénito da criação de Deus e o único criado diretamente.

João 8:58 - "eu tenho sido" (TNM), no particípio passado, em vez da tradução usual "EU SOU". No contexto, o Filho de Deus afirma sua existência pré-humana. Ele existia, antes de Abraão ter existido. (João 1:15, 30) Veja Êxodo 3:14.

João 14:14 - "Se pedirdes alguma coisa em meu nome" (TNM) em vez de "Se me pedirdes alguma coisa em meu nome". A TNM omite a partícula "me". A nota de rodapé da Tradução Interlinear do Reino das Escrituras Gregas (TIR) diz: "me pedirdes". Manuscritos gregos mais recentes omitem "me". Uma tradução mais exata seria: "Se pedirdes a Deus alguma coisa em meu nome" [ de Jesus Cristo ].

João 10:30 - "Eu e o Pai somos um." – disse Jesus. (TNM) Os trinitários defendem que este texto prova que YHWH Deus e Jesus Cristo é a mesma pessoa. Em vez disso, prova que ambos estão em união e que agem em comum acordo. Eles são duas pessoas divinas, cada um com personalidade distinta. E os cristãos devem entrar nesta união. (João 17:20-21)

João 10:33 - "Os judeus responderam-lhe: "Nós te apedrejamos ... por blasfémia, sim, porque tu, embora sejas um homem, te fazes um deus". (TNM) Os trinitários defendem que os líderes religiosos procuraram matar Jesus Cristo porque que ele se fazia de Deus ou igual a Deus. Jesus Cristo sempre afirmou ser o Filho de Deus, não o Deus Todo-poderoso.

João 20:30-31 - "Jesus efetuou muitos outros sinais, também diante dos discípulos, os quais não estão escritos neste rolo. Mas, estes foram escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus". (TNM) João 21:25 - "Há, de fato, também muitas outras coisas que Jesus fez, as quais, se alguma vez fossem escritas em todos os pormenores, suponho que o próprio mundo não poderia conter os rolos escritos." (TNM) Gálatas 1:8 - "mesmo que nós [ apóstolos de Cristo ] ou um anjo do céu vos declarássemos como boas novas algo além daquilo que vos declaramos como boas novas, seja amaldiçoado." Veja Atos 17:11.

  • Mateus 18:11; 23:14; Marcos 7:16; 9:44, 46; 11:26; Lucas 17:36; João 5:4; Atos 8:37; 15:34; 24:7 e Romanos 16:24 não se encontram nos manuscritos mais antigos. Por isso, a TNM possui um traço em seu lugar. Mas esses versículos são encontrados em algumas traduções. Uma comparação com traduções modernas, como New English Bible (NEB) e a Bíblia de Jerusalém (BJ), mostra que outras comissões de tradução também reconheceram em notas marginais que os versículos em questão não fazem parte do texto bíblico. Em alguns casos, foram copiados de outra parte da Bíblia e acrescentados ao texto por um escriba. (A Sentinela de 15/11/1978, pág. 11-4; Raciocínios à Base das Escrituras, 1985, pág. 396)
  • Os manuscritos אBSys omitem João 7:53 a 8:1-11. Com uma nota marginal, a TNM reza o texto abaixo, com algumas variantes nas diversas versões e textos gregos: "Foram assim cada um para o seu lar. Mas Jesus foi para o Monte das Oliveiras. De madrugada, porém, ele se apresentou novamente no Templo e todo o povo começou a vir a ele, e ele se assentou e começou a ensiná-los. Os escribas e os fariseus trouxeram então uma mulher apanhada em adultério, e, depois de a postarem no meio deles, disseram-lhe: "Instrutor, esta mulher foi apanhada no ato de cometer adultério. (1) Na Lei, Moisés prescreve que apedrejemos tal sorte de mulher. (2) Realmente, o que dizes tu?" Naturalmente, diziam isso para o porem à prova, a fim de terem algo com que o acusar. Mas, Jesus abaixou-se e começou a escrever no chão com o seu dedo. Quando persistiram em perguntar-lhe, endireitou-se e disse-lhes: "Que aquele de vós que estiver sem pecado seja o primeiro a atirar-lhe uma pedra." E, abaixando-se novamente, escrevia no chão. Mas, os que ouviram isso começaram a sair, um por um, principiando com os anciãos, e ele foi deixado só, bem como a mulher que estivera no meio deles. Endireitando-se, Jesus disse-lhe: Mulher, onde estão eles? Não te condenou ninguém?" Ela disse: "Ninguém, senhor. Jesus disse: Tampouco eu te condeno. Vai embora; doravante não pratiques mais pecado." (3) Notas: (1) Personagem não-identificada. (2) Segundo a Lei moisaica, ambos tinham de ser mortos. (Êxodo 20:14; Levitíco 20:10; Deuteronómino 5:18; 22:22) (3) Condenação da prática de pecado. (I João 2:1; 3:6)

Textos dos Atos dos Apóstolos

Atos 2:21 - "todo aquele que invocar o nome de Jeová será salvo" (TNM), em vez de "todo aquele que invocar o nome do SENHOR [ em letras maiúsculas ] será salvo." (ACF) Compare com Romanos 10:13. O restabelecimento de YHWH é autorizado por Joel 2:32 e Sofonias 3:9. Compare com I Reis 18:24. O termo gr. Kyríos é uma expressão substituta de YHWH. Aceitando a substituição de YHWH por "Senhor", esta deveria ser em letras maiúsculas. Por usar "Senhor" em letras minúsculas, fica de todo obscurecido no NT a identidade do Senhor YHWH Deus com a do Senhor Jesus Cristo, o Filho de Deus.

Atos 2:46 - "E, perseverando unânimes todos os dias no templo e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração". (ALA) Segundo STV, era algo que faziam diariamente. O "partir do pão" não é por isso a celebração da "Ceia do Senhor". Esta era realizada anualmente a 14 de nisã, após o pôr-do-sol.

Atos 3:15 e Atos 5:31 - "ao passo que matastes o Agente Principal da vida" (TNM) em vez de "matastes o Autor da vida". O termo gr. arxhgon é comummente traduzido por "Autor principal". Tem o mesmo sentido que em Hebreus 12:2. Autor é definido como pessoa responsável por algo, pessoa que desempenha um papel importante num acontecimento, protagonista, ator ou agente. Compare com João 3:16.

Atos 5:42 - "E todos os dias, no Templo e de casa em casa, não cessavam de ensinar, e de anunciar a Jesus, o Cristo. Atos 20:20 - "Não me refreei de vos falar coisa alguma que fosse proveitosa, nem de vos ensinar publicamente e de casa em casa." (TNM) A expressão "de casa em casa" é kat oikon. Visto que também significa "nas casas", a maioria dos tradutores não verte "de casa em casa". A expressão kat oikon tem um sentido distributivo, "de casa em casa", e não meramente adverbial, "em casa". Isso não significa que tem que ser de casa após casa, de modo sistemático.

Atos 15:28-29 - Os apóstolos e demais anciãos de Jerusalém decidiram que os cristãos não judeus "se abstenham [ apékhoma, lit. "ficar afastado de" ] das coisas poluídas por [ isto é, sacrificadas aos ] ídolos, e da fornicação, e do estrangulado [ carnes não sangradas ou indevidamente sangradas ] e do sangue [ tomar alimentos ou refeições com sangue, inclusive o beber sangue ]". (TNM) Abster-se significa renunciar a prática de alguma ação, não fazer deliberadamente uso ou consumo de alguma coisa. (Atos 21:25) A proibição se aplica ao comer ou beber sangue de animais mortos para alimento. (Génesis 9:3-4; Levítico 3:17; 7:26-27; 17:12-14; Deuteronómio 12:16, 24) Na mentalidade judaico-cristã, era inadmissível comer carne humana ou ingerir sangue humano. (João 6:52-60)

Textos nas Epístolas e Relevação

Romanos 10:13 - "todo aquele que invocar o nome de Jeová será salvo" (TNM), em vez de "todo aquele que invocar o nome do SENHOR [ em letras maiúsculas, a expressão substituta de YHWH ] será salvo." (ACF) Veja a citação paralela de Atos 2:21. O restabelecimento de YHWH é autorizado por Joel 2:32 e Sofonias 3:9.

Romanos 13:1 - "Toda alma esteja sujeita às autoridades superiores, pois não há autoridade exceto por Deus; as autoridades existentes acham-se colocadas por Deus nas suas posições relativas." (TNM) A TNM acrescentou ao texto grego, "nas suas posições relativas". É a afirmação do princípio da sujeição relativa, não absoluta. (Mateus 22:17-21; Atos 5:27-29) As "autoridades superiores" foram identificadas por Charles Russell como sendo os governos humanos. (Estudos das Escrituras Vol. I - O Plano Divino das Eras, 1886, pág. 266) Em 1929, eram "Jeová Deus e Jesus Cristo". (A Verdade que Vos Torna Livres, pág. 312) Em 1962, são os governos humanos. (Anuário das TJs de 1975, pág. 238)

Romanos 14:8-9 - "quer vivamos, vivemos para Jeová, quer morramos, morremos para Jeová. Portanto, quer vivamos quer morramos, pertencemos a Jeová. Pois, para este fim morreu Cristo e passou a viver novamente, para que fosse Senhor [ Kyríos ] tanto sobre mortos como [sobre] viventes." (TNM) Compare com João 3:16.

I Coríntios 11:29-30 - "É por isso que muitos entre vós estão fracos e doentios, e não poucos estão dormindo [na morte]." (TNM) Os § 27 e 29 explica que quem "comer este pão, ou beber o cálice do Senhor indignamente ... come e bebe para sua própria condenação". Por não discernirem o significado da Refeição Noturna do Senhor, muitos cristãos em Coríntio a encaravam como mera refeição social, um banquete ou uma festança. Estavam doentes e dormindo em sentido figurado. A STV verte "estão dormindo [na morte]".

Efésios 5:25 traduz por: "Maridos, continuai a amar as vossas esposas" (TNM), em vez de dizer apenas "amai as vossas mulheres." Colonossenses 3:19 diz: "persisti em amar as [vossas] esposas". (TNM) A TNM indica uma ação contínua do verbo amar.

Gálatas 5:15 - "Se vós, porém, persistis em morder-vos e em devorar-vos uns aos outros, acautelai-vos de que não fiqueis aniquilados uns pelos outros." (TNM) "Se vós, porém, vos mordeis e devorais uns aos outros, vede que não sejais mutuamente destruídos." (ARA) "Mas, se vocês agem como animais selvagens, ferindo e prejudicando uns aos outros, então cuidado para não acabarem se matando!" (NTLH)

Gálatas 5:20 - "quem pratica espiritismo [ farmakía, "drogaria", lit. "drogeadores" ] ... não herdará o Reino de Deus." (TNM) A STV traduz o gr. farmakía por "espiritismo" em vez de feitiçaria. (Gálatas 5:20; Revelação 18:23; 21:8; 22:15) O termo farmakía se refere aos preparadores de drogas. Para além da intenção de curar, os feiticeiros / curandeiros usavam drogas para induzir estados alterados de consciência para acenderem ao Mundo dos Espíritos. Em harmonia com Atos 19:19, os cristãos devem destruir todos os objetos que se relacionem com o Espiritismo, não importa quão caros sejam. (Raciocínios à Base das Escrituras, 1989, pág. 142) O termo Espiritismo, de Espírito (entidade) + ismo, "doutrina" ou ensinamentos, é usado pela STV na TNM para todas as comunicações com o Mundo dos Espíritos. A palavra espírito tem sua raiz etimológica do lat. spiritus [ gr. pneuma; hebr. ruah ]. Espiritismo surge como neologismo francês (Spiritualisme) do Prof. Hippolyte Léon Rivail. Nos Evangelhos e no livro de Atos, são identificados como sendo anjos decaídos, qualificados de "espíritos impuros", "espíritos iníquos" e "demónios". Na Lei dada ao antigo Israel, era proibidas as comunicações com o Mundo dos Espíritos. A prática da mediunicidade espírita era punida com a morte. Era proibido a adivinhação e o uso de artes mágicas. (Êxodo 22:18; Levítico 19:26, 31; 20:6, 27; Números 23:23; Deutornómino 18:10-14)

Tito 2:13 - "ao passo que aguardamos a feliz esperança e a gloriosa manifestação do grande Deus e [do] Salvador de nós, Cristo Jesus". (TNM) O uso da colchete simples com o artigo "do", foi inserida no texto da TNM para completar o sentido.

Filipenses 2:6 - "embora existisse em forma de Deus, não deu consideração a uma usurpação, a saber, que devesse ser igual a Deus." (TNM) Em vez de "subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus". Ele deixou a sua natureza divina e se tornou verdadeiramente humano. Veja João 1:1. Ele não se fez igual a Deus. Ele afirmou ser o Filho de Deus, não o Deus Todo-poderoso.

Filipenses 2:9-11 - "Deus o enalteceu a uma posição superior e lhe deu bondosamente o nome que está acima de todo outro nome, a fim de que, no nome de Jesus, se dobre todo joelho dos no céu, e dos na terra, e dos debaixo do chão, e toda língua reconheça abertamente que Jesus Cristo é Senhor [ Kyrios ], para a glória de Deus, o Pai." (TNM)

Colossenses 1:15-20 - "Ele é a imagem do Deus invisível, o primogénito de toda a criação ... Todas as [outras] coisas foram criadas por intermédio dele e para ele. Também, ele é antes de todas as [outras] coisas e todas as [outras] coisas vieram a existir por meio dele, e ele é a cabeça do corpo, a congregação. Ele é o princípio, o primogénito dentre os mortos, para se tornar aquele que é primeiro em todas as coisas; porque [Deus] achou bom que morasse nele toda a plenitude, e, por intermédio dele, reconciliar novamente todas as [outras] coisas consigo mesmo, por fazer a paz por intermédio do sangue [que ele derramou] na estaca de tortura [ staurós, em vez de cruz ], quer sejam as coisas na terra, quer as coisas nos céus." (TNM) A STV coloca 5 vezes a palavra "outras" no texto na TNM em colchetes simples, para completar o sentido em português. Estas inserções não existem no texto grego do NT. Ao ler os versículos sem inserção "outras", segundo os trinitários, isso prova que Jesus Cristo é o Deus Todo-poderoso e que criou todas as coisas.

Colossenses 2:12 - "porque é nele que mora corporalmente toda a plenitude da qualidade divina". (TNM) O termo theotes significa ter natureza e atributos Divinos. (W. Vine, Dicionário Expositivo de Palavras do Antigo e do Novo Testamento) A STV verte "qualidade divina" por "Divindade". Jesus Cristo é o Filho de Deus, não o Deus Todo-poderoso.

Tiago 5:16 - "confessai, pois os vossos pecados [ paraptomata ] uns aos outros." (ARA) O termo paraptomata se refere a faltas ou erros de natureza não séria.

Hebreus 1:6 - "ao trazer novamente o seu Primogénito à terra habitada, ele diz: E todos os anjos de Deus o adorem". (TNM ed. 1950, 1961 e 1970) Na TNM ed. 1971, foi alterada para "prestem homenagem". O termo προσεκύνησαν, proskuneó, significa "adorar" [a Deus ou um deus], cultuar, prestar serviço sagrado. Também significa "prestar homenagem" ou "curvar diante de", numa atitude de reverência ou reconhecimento. Quando o apóstolo João quis proskuneo diante do anjo, este ordenou que o faça apenas a Deus. (Revelação 19:10; 22:9-10; compare com Mateus 4:9-10) Veja Filipenses 2:9-11 e Mateus 28:19.

Hebreus 1:8 - Ao se referir ao Cristo ressuscitado diz: "Deus é o teu trono para todo o sempre" (TNM), em vez da tradução usual: "O teu trono, ó Deus, é para todo o sempre". "Ó Deus, o teu trono subsiste pelos séculos dos séculos". (ACF) É uma citação do Salmo 45:6. Os reis do antigo Israel sentavam-se figurativamente "no trono de Jeová". (I Crónicas 29:23) A STV adotou a tradução "Deus é teu trono", isto é, seu reino se alicerça em Deus.

I Pedro 5:13 - "Aquela que se encontra em Babilónia, também eleita, vos saúda, como igualmente meu filho Marcos." (ARA) "A igreja que está em Babilónia". (NTLH) Segundo Lucas, o apóstolo Pedro desenvolveu sua atividade missionária na Judeia, Samaria e na Síria. Escreveu cartas às comunidades cristãs no Ponto, da Galácia, da Capadócia, da Ásia Menor e da Bitínia. (1:1; 2:9-10) Quando Paulo visitou Jerusalém, Pedro, juntamente com João e Tiago, eram as colunas na Igreja de Jerusalém. (Gálatas 2:7-9) Os escritores cristãos do II Século asseguram a ida de Pedro para Roma. A menção de Babilónia seria um suposto código para a cidade de Roma. O NT nada menciona quanto a este assunto. Não foi mencionado nas cartas do apóstolo Paulo. Segundo o historiador Eusébio (260-340 EC), Pedro foi executado durante o reinado de Nero. Remota a Orígenes (184-253 EC) a tradição de Pedro ter sido crucificado de cabeça para baixo. (Atos de Pedro, 35, escrito apócrifo) A Santa Sé tem sido mais cautelosa quanto a afirmação de ter encontrado a sepultura e as ossadas de Pedro. (Nova Iorque Times de 22/4/1949; P. G. Maxwell-Stuart, Crónicas dos Papas, Editorial Verbo, Lisboa, 2004, pág. 12-6)

I João 5:5-8 - "Quem é que vence o mundo senão aquele que tem fé em que Jesus é o Filho de Deus? É este quem veio por meio de água e sangue, Jesus Cristo; não apenas com água, mas com a água e com o sangue. E é o espírito que está dando testemunho, porque o espírito é a verdade. Porque são três os que dão testemunho: o espírito, e a água, e o sangue, e os três estão de acordo." (TNM) Esta versão está de acordo com os textos gregos de Tischendorf (8ª ed. 1872), Westcott & Hort (1881), Augustinus Merk (9ª ed. 1964), José Maria Bover (5ª ed. 1968), Sociedades Bíblicas Unidas e Nestle-Aland. O texto gr. diz: "οτι τρεις εισιν οι μαρτυρουντες το πνευμα και το υδωρ και το αιμα και οι τρεις εις το εν εισιν." (Westcott & Hort / Tischendorf)

  • A passagem espúria de I João 5:7-8 diz: "no céu: o Pai, a Palavra, e o Espírito Santo; e estes três são um. E três são os que testificam na terra". O texto gr. diz: "οτι τρεις εισιν οι μαρτυρουντες εν τω ουρανω ο πατηρ ο λογος και το αγιον πνευμα και ουτοι οι τρεις εν εισιν και τρεις εισιν οι μαρτυρουντες εν τη γη το πνευμα και το υδωρ και το αιμα και οι τρεις εις το εν εισιν". (Texto Recebido / Texto Bizantino) "Esta passagem deve ser rejeitada por não se encontrar nos antigos manuscritos gregos, nas antigas versões e nos melhores manuscritos da Vulgata". (Bíblia de Jerusalém, Ed. Paulinas, 1981, pág. 1597; S. E. McNair, A Bíblia Explicada, CPAD, Rio de Janeiro, 1985, pág. 489; Raciocínios à Base das Escrituras, 1989, pág. 414)

I João 5:20 - "sabemos que o Filho de Deus veio e nos deu capacidade inteletual [ = discernimento ] para podermos obter conhecimento do verdadeiro. E nós estamos em união com o verdadeiro, por meio do Seu Filho Jesus Cristo. Esse é o verdadeiro Deus e a vida eterna." (TNM) Compare com João 17:3.

Revelação 1:8 - "Eu sou o Alfa e o Ómega, diz Jeová Deus, Aquele que é, e que era, e que vem, o Todo-poderoso." (TNM) O texto gr. diz: εγω ειμι το αλφα και το ω λεγει κυριος ο θεος ο ων και ο ην και ο ερχομενος ο παντοκρατωρ. (Westcott & Hort) Alfa é a primeira letra do alfabeto grego, e Ómega, a última letra. O texto gr. reza: "diz (o) Senhor Deus [ expressão substituta para YHWH Deus ]".

  • O Alfa e Ómega é o Deus Todo-poderoso, cujo nome é YHWH. Não é Jesus Cristo, o Filho de Deus. Veja 21:5-6 e 22:13. É uma citação de Isaías 44:6 e 48:12 diz: "Assim disse Jeová, o Rei de Israel e seu Resgatador, Jeová dos exércitos: Sou o primeiro e sou o último, e além de mim não há Deus. ... Escuta-me, ó Jacó, e tu, Israel, meu chamado. Eu sou o Mesmo. Sou o primeiro. Além disso, sou o último." (TNM) Outras traduções traduzem por: "Eu sou o Alfa e Ómega, diz o Senhor Deus [ expressão substituta para YHWH Deus ], aquele que é, que era e que há de vir, o Todo-poderoso." (AA, NTLH)
  • A referência ao Primeiro e o Último de Revelação 1:17-18 e 2:8, se refere ao Cristo ressuscitado.

Revelação 7:4-8 - "cento e quarenta e quatro mil" selados - 12 mil selados de cada tribo de Israel, isto é, 12 mil x 12 tribos. A referência à tribo de Levi e à tribo de José (em vez de Efraim) difere da listas do antigo Israel. Se trata do Israel figurativo - a Igreja Cristã. (Mateus 21:43) Veja Revelação 14:1-5. São relacionados com a Nova Jerusalém, a cidade santa que desce do céu, chamada de "noiva do Cordeiro". É simbolo do vindouro Reino de Cristo. (Revelação 21:12-21) Segundo a STV, os 144 mil selados são a totalidade dos cristãos Ungidos por Espírito Santo - desde 33 EC até aos nossos dias.

Revelação 7:9-16 - Depois da selagem dos 144 mil, o apóstolo João viu em visão "uma grande multidão, que nenhum homem podia contar, de todas as nações, ... em pé diante do trono [ de Deus ] e diante do Cordeiro [ Cristo ressuscitado ], trajados de compridas vestes brancas; e havia palmas nas suas mãos. E gritavam com voz alta, dizendo: Devemos a salvação ao nosso Deus, que está sentado no trono, e ao Cordeiro. ... Estes são os que saem da grande tribulação, e lavaram as suas vestes compridas e as embranqueceram no sangue do Cordeiro. É por isso que estão diante do trono de Deus; e prestam-lhe serviço sagrado, dia e noite, no seu templo; e O que está sentado no trono estenderá sobre eles a sua tenda."

  • Em 1935, a STV identificou esta "grande multidão" internacional como sendo todas as Testemunhas que não foram ungidas por Espírito Santo. Antes, era encarado como sendo uma classe secundária de Testemunhas ungidas. Estes não são ungidos com Espírito Santo e não têm esperança de vida celestial. Em vez disso, têm esperança de sobreviver a "grande tribulação" e ao Armagedão. Viveram para sempre num paraíso sobre a Terra. (As Testemunhas de Jeová no Propósito Divino, pág. 140)

Revelação 14:1-5 - "E eu vi, e eis o Cordeiro [ Cristo ressuscitado ] em pé no Monte Sião [ o vindouro Reino de Cristo ], e com ele cento e quarenta e quatro mil, que têm o nome dele e o nome de seu Pai escrito nas suas testas. ... E estão cantando como que um novo cântico diante do trono [ de Deus ] e diante das quatro criaturas viventes [ anjos de três pares de asas; Isaías 6:2 ] e dos anciãos [ 24 anciãos sentados em tronos ]; e ninguém podia aprender esse cântico, exceto os cento e quarenta e quatro mil que foram comprados da terra. Estes são os que não se poluíram com mulheres; de fato, são virgens. Estes são os que estão seguindo o Cordeiro para onde quer que ele vá. Estes foram comprados dentre a humanidade como primícias para Deus e para o Cordeiro, e não se achou falsidade na sua boca; não têm mácula." Veja Revelação 7:4-8.

Saiba Mais

Ligações Externas

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória