FANDOM


Triângulo Roxo era o símbolo identificador dos adeptos da religião Testemunhas de Jeová nos campos de concentração Nazi. Fazem parte das vítimas amiúde esquecidas do Holocausto.


Índice Editar

[ mostrar]

Seminários sobre Triângulos Roxos Editar

O Corpo Governante das Testemunhas de Jeová aprovou a realização no Brasil de seminários com palestras para divulgação dos Triângulos Roxos - As Vítimas Esquecidas do Nazismo, nas cidades do Rio de Janeiro e de São Paulo, em Maio de 1999. Um dos pontos altos dos seminários foi a exibição do documentário em vídeo intitulado As Testemunhas de Jeová Resistem ao Ataque Nazista. Os eventos não tiveram por objectivo apenas recordar as atrocidades cometidas pelo Nazismo. A edição especial desse vídeo para salas de aula, apresentada por James N. Pellechia, do Departamento de Informação Pública (sigla DIP) da sede mundial das Testemunhas de Jeová, contém 28 minutos de comentários históricos e relatos de sobreviventes de campos de concentração. Uma cópia do vídeo e sugestões sobre como usá-lo nas salas de aula estão sendo fornecidas gratuitamente aos professores.


Com o cabeçalho "Testemunhas de Jeová Relembram Perseguição", o Jornal O Estado de São Paulo comentou: "A discriminação registrada entre 1933 e 1945 afetou a vida de cerca de 10 mil alemães que professavam a doutrina das Testemunhas de Jeová, contrária à política belicista de Adolf Hitler, e mais de 2 450 Testemunhas de Jeová perderam a vida. Os nazistas perseguiram, além de judeus, homossexuais, ciganos e comunistas, cristãos que se recusavam a aderir ao regime. É o que as Testemunhas de Jeová vêm procurando divulgar e debater em vários países, incluindo o Brasil."


Os exemplos positivos dados destacaram a capacidade humana de resistir ao mal e de amar, são lições para as novas gerações. A resistência das Testemunhas de Jeová não foi armada. Elas resistiram por se apegarem a seus princípios religiosos apesar do preconceito, da propaganda contrária e da perseguição.

Vítimas por Opção Editar

Os oradores chamaram a atenção também para o facto de as Testemunhas de Jeová terem sido vítimas por opção. "A guerra nazista contra os judeus visava a sua aniquilação e os deixou com poucas opções para escapar", explicou o Dr. Abraham J. Peck, Diretor Executivo do Museu do Holocausto de Houston, Texas, EUA. "A perseguição nazista contra as Testemunhas de Jeová visava a erradicação da religião. Por conseguinte, as Testemunhas de Jeová recebiam dos nazistas a oferta de liberdade, caso renunciassem à sua fé. A maioria das Testemunhas preferiu sofrer e enfrentar a morte junto com as outras vítimas do nazismo a apoiar a ideologia nazista de ódio e violência."


Como judeu polonês, o Dr. Ben Abraham, agora Vice-presidente da Associação Mundial dos Sobreviventes do Nazismo, passou cinco anos e meio em campos de concentração onde conheceu pessoalmente várias Testemunhas de Jeová. Ele disse: "A diferença entre as Testemunhas e todos os outros prisioneiros é que, se renunciassem à sua fé e se comprometessem a denunciar os outros que praticavam a mesma crença, seriam soltas na hora. Mas preferiam permanecer presas a renunciar à fé."

Reação aos Seminários Editar

Os eventos foram muito bem recebidos pelas autoridades e pelos educadores..Veja SECOM - Exposição internacional mostra horrores do nazismo. (Despertai! de 8/11/1999, pág. 15-8; A Sentinela de 1/3/2003) Alguns na assistência nunca tinham ouvido a história dos Triângulos Roxos. Num telegrama, o Governador do Estado do Rio de Janeiro escreveu: "Eventos como esse que servem para formar novas consciências e evitar novas agressões aos direitos da humanidade terão sempre o meu total apoio". E o Secretário de Saúde do mesmo estado reafirmou que é de suma importância manter viva na memória os crimes hediondos cometidos contra a humanidade. Desta forma, se transmitirá às novas gerações referências éticas para sua formação e escolha de valores na construção de um mundo mais fraterno e humanitário.


O ex-Reitor Jacques Marcovitch, da Universidade de São Paulo, assistiu ao vídeo com a família e elogiou o material didático acompanhante. "Eles me fazem acreditar na infinita capacidade humana de amar" - assim se expressou o Prof. Francisco C. T. Silva, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, após assistir ao seminário.


As 800 pessoas que assistiram aos seminários nas cidades do Rio de Janeiro e São Paulo acharam os relatos dos sobreviventes muito comoventes. "Como uma pessoa poderia renunciar à sua fé em Deus e ainda ter uma consciência livre, uma relação verdadeira com Deus?", argumentou Rudolf Graichen, uma Testemunha de Jeová que sobreviveu ao ataque nazista. Outra sobrevivente no campo de concentração de Ravensbrück, Magdalena Kusserow Reuter, explica: "Eu me recusava a dizer "Heil Hitler" e a apoiar o Regime Nazista. Hitler queria ser um Messias, e nós não o reconhecíamos como tal."

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória